INSCRIÇÃO

INSCRIÇÃO
INSCRIÇÃO

ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

APRENDIZAGEM

APRENDIZAGEM
APOIO

AVALIAÇÃO

AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

ENEM

ENEM
ENEM

Inscrição

Inscrição
INSCRIÇÃO

ENCEJJA

ENCEJJA
encejja

Instituto Avaliar - PAAE

Instituto Avaliar - PAAE
Instituto Avaliar - PAAE

MECFLIX

MECFLIX
MECFLIX

COPESE

COPESE
sasi

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

OBRAS DO SASI

OBRAS DO SASI
OBRAS DO SASI

Registro

Registro
registro de experimento

sábado, 8 de março de 2014

Neste Dia Internacional da Mulher, queremos lembrar aqui a mulher educadora João Beraldense!



   Homenageamos aqui a mulher educadora desta amada escola João Beraldo. Incansável, laboriosa, persistente e ousada. A Professora João Beraldense,   é aquela que,  como diz Cora Coralina em seus versos, que foram declamados pelos nossos alunos num lindo recital no final de 2013,  fez a escalada da montanha da vida, removendo pedras e plantando flores. A educação tem um corpo feminino. Por isso mesmo fecundo de amor. Está depositada  nas mãos da mulher educadora a grande missão de cuidar. São pedras brutas informes, são  crianças, adolescentes e jovens de todos os jeitos e formas colocados sob o seu servir. Ela  vai na  perseverança,  superando  os percalços, nunca deixa de acreditar no jovem,  mesmo quando vem a decepção, porque seu cuidar está além dos pequenos momentos. Muitas vezes, solitária,  o sentido de impotência lhe sobressalta e a pequenez se agiganta em seu ser,  perante a força sedutora do mundo frente ao seu aluno. Respira fundo, se  aquieta seu coração e se arma da palavra. Nunca para, caminhando vai sempre tecendo  personalidades que recebe, emoldurando caráter, construindo grandes belezas em  dimensões jamais vistas,  até que, aquele ser sob seu cuidado,  por suas próprias asas  levanta um vôo para além de tudo que aprendeu, deixando para tráz a sua criadora. A Educação não seria educação se seu corpo não fosse o de  mulher que sabe acolher em seu ventre tantas sementes diferentes para que  com um amor maior frutificar pessoas melhores. Como poderia haver o cuidar se o corpo da educação não fosse o da mulher que se  entrega ao trabalho desgastante de colocar no coração de um jovem o encanto, o desejo de ser, e as possibilidades de encontrar um caminho? Tudo expressa uma caridade maior,  visível apenas para  aqueles que  não só vêem,  mas reparam como muito bem mostrou em seu  livro que virou filme José Saramago,  Ensaio sobre a cegueira que li e vi o filme e recomendo , “Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara”.   Tudo isto é expressão de Deus que fez a mulher educadora, para que ela possa fazer muitos outros seres com seu cuidar.
                                                                  Por Deodato Gomes Costa-Diretor 

Um comentário:

Juelice disse...

Obrigada pela sábias palavras... me sentindo homenageada!!!!