OBRAS DO SASI

OBRAS DO SASI
SASI

ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

SASI

SASI
SASI

ENEM

ENEM
ENEM

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

sábado, 22 de novembro de 2014

Escola Estadual Dr. João Beraldo realiza a “Semana de Educação para a Vida”. No formulário logo abaixo, pais, alunos e professores façam a avaliação da Semana em nossa escola.

        A Escola Estadual Dr. João Beraldo de Carlos Chagas realizou, nesta semana de 17 a 21 de novembro, o projeto pedagógico “Semana de Educação para a Vida”. Todo o trabalho aconteceu de  acordo com a Lei n° 11.988, de 27 de julho de 2009,  que determina que a  “Semana de Educação para a Vida” deve ocorrer em todas as escolas públicas de ensino fundamental e médio de todo país, entre a primeira quinzena de outubro e a segunda quinzena de novembro. O projeto foi planejado no mês de agosto quando recebemos as orientações da Secretaria de Estado via Regional e teve como objetivo discutir e trabalhar temas como meio ambiente, sexualidade, pluralidade cultural, saúde, ética e trabalho e consumo por meio de palestras, oficinas, filme com orientação nas áreas de empreendedorismo, saúde física e emocional, autoestima, trabalhos em sala com atividades individuais e em grupo com confecção de cartazes. A programação da “Semana” foi montada com a participação de todos os professores. Uma turma montou um recital, CANTIGAS DE ADOLESCER, com poemas que discutiam a sexualidade que foi o tema da 2ª feira, 1º dia. Este recital foi apresentado,  ao longo da semana  para todos os alunos da escola e para os pais.  Elegemos uma literatura para preparar as oficinas: Sexo com Liberdade escrito pelo Professor Júlio César Faria Machado. Na 3ª feira foi a vez das drogas. O que foi produzido de cartazes, vídeos alusivos ao tema não houve espaço para afixar na escola. Tivemos também a palestra da Professora Izabel, que é também farmacêutica, sobre as consequências do uso de drogas para o corpo e a mente humana. Dois ex-drogados e o Pastor Gilson,  fizeram um depoimento junto aos alunos do 2º ano, organizados pela Professora Laudeni, que muito prendeu a atenção dos alunos. Este dia foi embasado no livro do Içami Tiba, Juventude e Drogas,  Anjos Caídos. Na 4ª Feira foi a vez do meio ambiente e aí discutimos o problema do lixo, do efeito estufa, o problema da água, a poluição do solo e a reciclagem. Tivemos a palestra do ambientalista Marcos Aurélio, que por sinal é o esposo da nossa Professora de Química. Não dá para avaliar a riqueza das oficinas e o grande grau de aprendizagem produzido nestes momentos vivenciados.  O 5º dia, na Quinta Feira, cujo tema geral foi O Dia Nacional da Consciência Nega e a História e Cultura da África, não ficou de forma alguma a desejar. Foram realizadas oficinas em todas as turmas cada uma destacando aspectos diferentes do tema: O Imperialismo na África, O tráfico negreiro, a situação do negro na sociedade atual, dicionários de palavras africanas, Zumbi dos Palmares, a lei das cotas, a comunidade quilombola de nossa cidade, o apartheid, a aoblição da escravidão e apresentações da capoeira. Neste dia houve a projeção do filme: Kiriku e a Feiticeira Karabá, um filme africano e logo depois debatemos sobre o mesmo. Na sexta feira, o tema foi O protagonismo Juvenil e a participação do jovem na escola e na sociedade. Trabalhou se muito o conceito de Grêmio Estudantil e as formas de participação da juventude na sociedade. Alguns professores avaliaram que apesar do intenso trabalho, esta é a forma que a escola tem para  alcançar os alunos, fugindo das aulas convencionais. Foram quebradas os conceitos de tempos e espaços  da escola, para se organizar em grandes oficinas e produções dos alunos a partir de grande temas eixos. Os temas eram intensivamente discutidos, sob os quais eram produzidas as expressões dos alunos e apresentados em plenária. Esta é a escola do século XXI, que rompe com os enquadramentos para discutir e gerar cidadania e participação.O professor que trabalha em mais escolas, constituiu um fator complicador pois tinha que sair para atender outra escola, no momento de conclusão de algum trabalho. O fato de ser a semana toda, não os alunos mas os professores quando chegou na 5ª feira reclamaram de cansaço, pois tiveram que pesquisar bastante, ler para auxiliar os alunos nos processos de construção do seu conhecimento. Por tudo que foi, valeu muito. Parabenizamos a todos os alunos e professores por este momento riquíssimo de aprendizagem em nossa escola. 

Nenhum comentário: