ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Jovem que lê escreve melhor e articula melhor os pensamentos, e não está entre os mais de 500 mil que zeraram a redação no ENEM.

         Um grande desafio vivemos hoje: formar jovens leitores a partir da escola. Os caminhos são muitos e todos eles esbarram em um grande trabalho a ser feito: como cultivar nas crianças, adolescentes e jovens com os quais trabalhamos todos os dias, o hábito da leitura, levando em conta o perfil do estudante que temos, aquele que assobia e chupa cana ao mesmo tempo e que não desgruda do celular? Os verdadeiros cérebros de pipoca, como bem pontuou um grande neurologista. O celular conectado às redes sociais utilizado para amenidades e não como instrumento de busca de informações que possam vir a se tornar conhecimento se tornou um grande problema a ser enfrentado. O desafio é grande pois vivemos na sociedade da dispersão, onde todo o tempo o jovem vive o apelo para a conecção inútil e nunca para uma reflexão que possa chamá-lo à responsabilidade para com sua história e da sua comunidade. Nossa cidade nada oferece para a formação da juventude, o que ele tiver de ser e construir será a partir da sua família, da escola e da Igreja a qual participa. Votou se no Congresso o Estatuto da Juventude, mas não se vê ações direcionadas ao acolhimento das demandas juvenis.
          Ações são necessárias no interior da escola para construção do leitor. Imaginem visitar a Feira Internacional do Livro de Paraty, seria um momento educativo bastante significativo ouvir palestras e ter um contato direto com autores de grande relevância nacional e internacional. Mas isto é só um sonho. Por enquanto pensamos apenas que precisamos fazer algo no espaço da nossa escola, agir localmente e nos tornamos todos agentes de construção de leitores. É preciso formar com nosso trabalho uma legião de leitores. E para que isso aconteça precisamos de pais engajados, que consigam passar para seus filhos o amor pela leitura e pelos livros, que ao fim de um árduo dia de trabalho tirem um momento para lerem um livro com seus filhos. Seria interessante trocar momentos das novelas da globo, que provocam ainda mais dispersão, por um tempo de leitura com o filho. É na mais tenra idade que se desenvolve o hábito, o prazer pela leitura. O papel de todos nós profissionais da educação nesse quadro, igualmente é também fundamental. Precisamos ser leitores apaixonados para que possamos passar credibilidade nessa relação de afeto com o livro para os jovens com os quais convivemos na escola. Quanto já se escutou que professor não lê? Muito mesmo se ouve isto, e é indiscutível a importância do professor neste processo de desalienação da criança, do adolescente e do jovem para a conquista da leitura enquanto habito de vida. Ao analisarmos os resultados da redação do ENEM, onde mais de 500 mil estudante zeraram a redação, não sabemos com quantos aqui em nossa Carlos Chagas aconteceu este problema que revela claramente o baixo desempenho na leitura de toda esta geração da tecnologia. O que precisamos fazer, então, é transformar o nosso jovem, este que está conosco todos os dias dentro deste espaço escolar, que não sabe ler, que é semianalfabeto ou analfabeto funcional, em um grande leitor, como tarefa não apenas do professor de português, mas responsabilidade de todas as áreas, de todos os professores, porque sabemos que quem lê escreve melhor, articula melhor os pensamentos e terá melhores condições de entrar no mercado de trabalho; terá melhores condições de se tornar um cidadão ativo, fazer escolhas inteligentes para sua vida sem falar que se encontra apto a participar de forma mais efetiva da construção de uma cidade melhor. Nas férias escolares os estudantes poderiam, dentre tantas coisas que fazem tirar um tempinho para uma gostosa leitura, quem sabe poderia a partir de um livro iniciar um novo modo de sentir e ver o mundo e as coisas?                             por Deodato Gomes Costa.

          Os murais do Eu amo leitura são todos muito bacana e instigante. Organizamos este slides e compartilho com todos. Participe da nossa Enquete sobre leitura, ajude na reflexão deste tema de tamanha relevância, deixe o seu posicionamento abaixo:


Nenhum comentário: