OBRAS DO SASI

OBRAS DO SASI
SASI

ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

APRENDIZAGEM

APRENDIZAGEM
APOIO

AVALIAÇÃO

AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

SASI

SASI
SASI

ENEM

ENEM
ENEM

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

ALEGRIA DE CARNAVAL EM NOSSA PEQUENA CARLOS CHAGAS!



Resolvemos homenagear o nosso Blog, www.informativogirassol.blog.br, que completa neste ano de 2015, sete ( 7) anos de existência e ganhou um pouco mais de moral porque a partir de agora tem domínio próprio. Comemoramos também as mais de 45 mil visitas. Vamos fazer isto com um clipe que preparei, a partir de  uma linda canção interpretada por Cidade Negra denominada Girassol, que você pode conferir logo acima. No início da canção temos de cara a defesa da idéia de  comunidade e da solidariedade,  da qual fala a música,  mostrando  que a presença na  comunidade, é que proporciona sentido à vida. Só existimos na interlocução. O grande Aristóteles, filófoso grego já dizia e aprendemos repetidasvezes em nossos aulas de sociologia “o homem é um ser social”. Isolados, sozinhos, não somos quem podemos ser.  Escutem  sempre o apelo dos blocos que passam e deixem se arrastar, nada existe fora da  convivência comunitária, pois é nela que nos educamos coletivamente e nos constituímos enquanto pessoa que somos,  porque só nos construímos na relação com o outro. É, mas viver em comunidade tem importantes implicações: na comunidade precisa-se esforçar muito para aprender a ouvir, ceder algumas vezes e também a agir em prol do bem coletivo. O bem que eu quero para mim e faço ao outro é o mesmo que se reverte ao meu favor. Por isso mesmo, fica sempre uma pergunta: O que estamos fazendo para o nosso bem e o bem do outro em nossa comunidade? Ética e respeito ao outro são as chaves da vida harmoniosa em comunidade. Sem elas a convivência se embrutece e não flutifica coisas boas. Então como diz a canção, se estamos a  favor da comunidade, seja ela macro ou micro, seja ela qual for, se  escolar, se de trabalho, se de um grupo que se reúne para uma atividade comum, se religiosa, se política ou do bairro, sempre temos a possibilidade de sermos arrastados pelo bloco dos que batalham pela construção de um mundo melhor. Existem sempre pessoas que buscam assegurar o bem viver, não apenas para si mas para todos que estão a sua volta. A favor da comunidade, sempre se tem a possibilidade de dar as mãos, de se unir e protagonizar a alegria de multiplicar gente feliz, de fazer florecer a paz e de viver sonhos coletivamente.  O capitalismo vive uma crise sem precedentes na história, a força dele é tão grande que virou uma implacável e irracional religião, onde matou se  Deus e colocou em seu lugar o dinheiro. Pela via comunitária e da solidariedade nos tornamos fortes para enfrentar todos as consequências deste poderoso monstro.. É bonito demais quando um povo se une para buscar soluções em sua comunidade acreditando ali na união dos seus irmãos. A força de uma comunidade frente às forças ocultas do descaso e do abandono é igualmente poderosa.

O carnaval passa muito longe daqui da nossa pequena Carlos Chagas. Onde estão os foliões? Não vemos  nenhum sinal da alegria contagiante deles, que faziam questão do encontro, da reunião e do baile no passado. A cidade está completamente deserta, silenciosa.  Enquanto descansam em suas casas, outros foram buscar alegria nas praias próximas, alguns ainda foram à piscina e outros até acompanham o Carnaval do Brasil pela televisão.  Sem saudosismo piegas, o que muito ouvimos é que Carlos Chagas já viveu a sua era de ouro em tudo, inclusive neste quesito, com grandes carnavais. Se falam tanto de resgate, taí algo que poderia ser reinventado,  o Carnaval da nossa cidade. Tentativas já foram  feitas e estavam no caminho certo, mas faltou a persistência. As gerações atuais não sabem o que é Carnaval em uma cidade pequena,  nem se aludem ao fato,  porque isto não tem nenhuma referência na realidade deles. Parece que áureos bailes nunca existiram na cidade.  Será que os cidadãos do passado sonhava mais coletivamente, viviam mais o espirito de comunidade do que os de hoje? Acompanhavam mais o bloco do compromisso comunitário? A festa, o celebrar juntos a alegria da vida sempre fará parte do ser cultural do homem. Comunidade humana nenhuma pode viver sem suas festa, encontros e seus grandes momentos coletivos. Uma comunidade que não canta com seus artistas, nem se alegra em suas celebrações e festas não é feliz, vive sempre na solidão dos seus dramas. Quem reinventará alegria do carnaval em Carlos Chagas? Quem levantará a cabeça dos citadinos acreditando sim que é possíveis fazer muitas festas e muitas folias? O carnavalesco Sr. Norton talvez esteja se revirando no túmulo, afeito as folias como era e percebendo uma cidade sem alegria. 

Para finalizar volto à Canção Girassol, cujo autor é o Bino Faria, para dizer que buscar a alegria de um carnaval em uma comunidade faz muito bem às pessoas. O Girassol é uma linda flor que sempre se volta para o sol. O sol em sua magnitude garante a vida e ilumina intensamente tudo. Vamos sonhar com Cidade Negra e imaginar um Girassol, como diz a canção, nascendo no coração dos filhos desta terra, que tendo sido iluminada sua grande flor amarela e consagrado pelo amor, saia com seu bloco  arrastando a todos da cidade para fazer comunitariamente  o bem de cada um. Enquanto não existe Carnaval em nossa cidade, nem ainda os Girassóis nasceram, convido a todos para cantar com Cidade Negra, esta linda canção de amor ao Bem Comum “A verdade prova que o tempo é o senhor/ Dos dois destinos, dos dois destinos / Já que pra ser homem tem que ter / A grandeza de um menino, de um menino / No coração de quem faz a guerra / Nascerá uma flor amarela / Como um girassol / Como um girassol / Como um girassol amarelo, amarelo”.  Jamais perder a esperança que "todo povo vai sorrir, sorrir, sorrir".                      Por Deodato Gomes Costa

Nenhum comentário: