OBRAS DO SASI

OBRAS DO SASI
SASI

ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

SASI

SASI
SASI

ENEM

ENEM
ENEM

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

quinta-feira, 26 de março de 2015

É HOJE 26-03-15 E AMANHÃ DIA 27-03-2015 TEM CINEMA DA 9ª MOSTRA NA SALA DE CINEMA DA JOÃO BERALDO - Confira os filmes deste dois dias: Cabra Marcado para Morrer e Que Bom Te Ver Viva.

Venha debater conosco os Direitos Humanos a partir da temática dos filmes.
Cabra Marcado para Morrer
TÍTULO DO FILME: CABRA MARCADO PARA MORRER (Brasil, 1984) DIREÇÃO: Eduardo Coutinho 
ELENCO: Elisabeth Teixeira e família, João Virgínio da Silva e os habitantes de Galiléia (Pernambuco). Narração de Ferreira Gullar, Tite Lemos e Eduardo Coutinho. 120 min., Globo Vídeo. 
              
               Em fevereiro de 1964 inicia-se a produção de Cabra Marcado Para Morrer, que contaria a história política do líder da liga camponesa de Sapé (Paraíba), João Pedro Teixeira, assassinado em 1962. No entanto, com o golpe de 31 de março, as forças militares cercam a locação no engenho da Galiléia e Interrompem as filmagens. Dezessete anos depois, o diretor Eduardo Coutinho volta à região e reencontrava a viúva de João Pedro, Elisabeth Teixeira – que até então vivia na clandestinidade e muitos dos outros camponeses que haviam atuado no filme antes brutalmente interrompido. 
Que Bom Te Ver Viva
TÍTULO DO FILME: QUE BOM TE VER VIVA (Brasil, 1989) DIREÇÃO: Lucia Murat 
                      Duas décadas depois, oito ex-presas políticas falam sobre a luta e a tortura vividas durante o regime militar brasileiro e a experiência de ter sobrevivido. Entre os depoimentos, delírios e confissões de uma personagem anônima, que reflete sobre o peso de ter sobrevivido lúcida às torturas. Murat, que foi torturada no período da ditadura militar,narra a vida de algumas mulheres brasileiras que pegaram em armas contra o regime militar. Há uma série de depoimentos de guerrilheiras e cenas do cotidiano dessas mulheres que recuperaram, cada uma à sua própria maneira, os vários sentidos de viver.


Nenhum comentário: