OBRAS DO SASI

OBRAS DO SASI
SASI

Natal

Natal
natal

ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

APRENDIZAGEM

APRENDIZAGEM
APOIO

AVALIAÇÃO

AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

ENEM

ENEM
ENEM

Inscrição

Inscrição
INSCRIÇÃO

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

domingo, 18 de junho de 2017

Ansiedade: o grande mal do nosso tempo!




Ansiedade, este é o grande mal do nosso tempo. A música sempre será uma terapia eficaz e alternativa aos remédios que podem, com o tempo de uso,  tornar as pessoas dependentes. Uma colega que fazia uso desses medicamentos me disse certa vez que um médico a alertou, que se ela não parasse de tomá-los, poderia chegar a um momento que não saberia mais nem quem era. Afora os exageros, estes remédios mudam o nosso humor diante da vida, mascaram a realidade, e ensina a pensar a vida sem  seus conflitos. Faz ver os problemas mais sérios de uma forma colorida e amena. No Grande Sertão Veredas, Guimarães Rosa, ensina:

O correr da vida embrulha tudo.
“A vida é assim: esquenta e esfria,
aperta e daí afrouxa,
sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem." 

 Li também sobre o assunto numa reportagem da veja há algum tempo atrás e discuti o assunto com uma amiga que faz uso de remédios para reduzir a ansiedade. A reportagem afirmava que eles alienam e tiram as pessoas do real e por isso impedem o crescimento e o fortalecimento da sua personalidade, tão importante para viver a superação das frustações que acontecem na vida de todo mundo. Conforme Guimarães, nos fortalecemos é no embate da vida e é vivendo as experiências de todas as nossas dores que podemos construir a coragem necessária para resolver os problemas. As frustações do ser humano necessitam é de cara limpa para serem enfrentados,  com resistência e resiliência-outra palavra que aprendi com uma inspetora na escola. Claro que sem exageros, se bem indicados, como ouvi de um médico,  esses medicamentos ajudam as pessoas a lidar com seus demônios pessoais e a sair das sombras que as envolvem.



  
Todos sabem o poder que tem uma canção para  aliviar as tensões e restabelecer o equilíbrio do ser humano. Quando estava na graduação aprendi a palavra  HOMEOSTASE em uma aula com a professora de psicologia da adolescência e nunca mais esqueci. 




Esta palavra é a condição de relativa estabilidade da qual o organismo necessita para realizar suas funções adequadamente para o equilíbrio do corpo. Homeostasis: palavra de origem grega, cujo significado já define muito bem o que vem a ser: homeo- = semelhança; -stasis = ação de pôr em, estabilidade. 



Na época em que conheci esta palavra, discutíamos a questão do equilíbrio emocional, estava ainda longe no tempo a teoria das inteligências múltiplas. Hoje, sabe-se que a inteligência emocional, é um instrumento poderoso, capaz de conduzir o ser humano à sua realização ou à desgraça total. Quantas pessoas tinham tudo para dar certo e se perderam nesta vida. Esta teoria foi muito difundida no Brasil por meio da obra de Daniel Goleman. 



Por esta inteligência as pessoas conquistam sua autonomia, reconhecem suas intenções e opiniões,  realizam autoanálise e refletem sobre a sua condição humana, possibilitando assim uma evolução. Pela ausência dela qualquer um pode vir a ser um ser humano caído, destruído. 
Quem já não recorreu á meditação?   Antônia, que vive a  ansiedade de uma vestibulanda, outro dia me procurou dizendo que  quer fazer Yoga. Quem já não procurou as massagens e outras formas para se relaxar? A musicoterapia é conhecida na maioria das vezes, única e exclusivamente pelos musicoterapeutas e é sempre relegada a algo marginal.  Mas as canções são verdadeiros refrigérios para a “alma” e para o corpo. A nossa Fé e as canções religiosas são poderosas ferramentas de paz interior e constituem verdadeiros caminhos de libertação e cura das emoções adoecidas,  bem como da busca do equilíbrio emocional.  Quantos professores precisam se afastarem da sala porque o nível de ansiedade extrapolou todos os limites e terminam por recorrer ao uso desses medicamentos? Encontrei esta canção na internet que é um verdadeiro tesouro,quando o assunto é relaxamento e alívio de ansiedade. Foi a partir desta canção que senti inspirado a fazer este post.Vive-se uma vida corrida,  com agenda sempre cheia de compromissos marcados por muita cobrança, por isso vale a pena recorrer à musicoterapia e se dedicar à escuta de  canções que podem nos ajudar nesta “divina comédia humana” que é viver.




Coloque esta canção em seu celular e nos seus momentos de grandes tensões, pare, pavimente um pouco seu caminho  respire fundo, pense em Deus e a ouça buscando sua HOMEOSTASE. Pense em você como alguém integrado ao universo mas não esqueça do seu contexto – meditar não é se desligar do seu mundo –  mas é construir força interior para encontrar a perfeita sintonia  entre você,  o seu contexto e força para imprimir transformações. 


Aprendi com o Professor Vítor Paradelo, agora no mestrado, que precisamos nos preparar para conviver com as incertezas da vida, e estas são muitas e imprevisíveis. Ele ensinou também que  o único fator estabelecido e permanente que temos das coisas são as mudança. Esta é a característica básica desse nosso tempo caótico,  repleto de contradições e de conflitos. É preciso aceitar a face confusa e imprevisível da nossa realidade que por muitas vezes assume uma dimensão ilógica, intuitiva e até mesmo irracional, nos desafiando a ação. Não podemos viver a ilusão de que se tem o controle da vida e dos acontecimento. Nem da nossa vida temos alguma certeza. Vamos vivendo ao sabor do próprio curso que o caminho toma.  Tudo mesmo agora pode estar por uma fração mínima do segundo e nos surpreender, para nos acalmar ou para nos tornar mais ansiosos ainda.
                                                                           Deodato Gomes

2 comentários:

Terezinha Barreiros disse...

A vida moderna nos convida a refletir sobre as ações e atitudes que movimentam a nossa existência na velocidade da luz, nós tropeçamos nos volumes de informações, perdemos o controle muitas vezes nas discussões acaloradas,censura interna,tudo isso reflexo de olhares diferenciados que se não muito bem administrados,não permite que vivamos com alegria, autoridade e amor, a riqueza do viver plenamente e feliz.

Terezinha Barreiros disse...

Vivemos os belos e maravilhosos tempos da informação,a era da máquina, que exige de cada vivente porque a vida é movimento e exige um compromisso mais aquecido pelo poder do compartilhar das discussões, que muitas vezes acaloradas, faz-nos pensar e repensar na censura interna, que fazemos uso e que impiedosamente atira-nos no vasto mundo do desespero,facilmente chamado de ansiedade.
Que legal Deodato! que você traz para nós o grande poder de driblar a angústia,através de algo quase que mágico, a música. Parabéns!