AVALIAÇÃO

AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

domingo, 16 de junho de 2019

Presidente do SICOOB, Sr. Valdeí Barbosa, abre oficina sobre Educação Cooperativa junto aos professores da Escola João Beraldo nesse sábado (15 de junho).


Mensagem utilizada por Virgínia para o Bom Dia inicial. Clique para ver a cobertura geral em imagens.

Um dos princípios básicos do Cooperativismo é a implementação da Educação Cooperativa seja entre pessoas membros ou entre o público em geral. Como vimos, as Escola Públicas podem se beneficiar dos princípios e metodologias que regem o Cooperativismo para garantir eficácia no processo de ensino aprendizagem dos seus estudantes. Foi isto que procurou deixar claro para todos nós a facilitadora Virgínia, responsável pela aplicação de uma oficina junto aos professores e pedagogos da Escola João Beraldo. Ela começou os trabalhos da oficina sobre educação cooperativa  com uma mensagem de Bom Dia, que dizia: “Cada ação de nossa vida toca alguma corda que vibrará na eternidade.” de E.H. Chapin.
Juelice responsavel pela articulação  e Virgínia, muita energia e inteligencia..
A Escola João Beraldo oportunizou esta oficina com a temática sobre Educação e Cooperativismo aos seus professores em parceria com o SEBRAE e o SICOOB, através de Renata,  que já promoveu várias capacitações de educadores em Carlos Chagas e trabalha pela disseminação dessas idéias  junto a todas as Escolas da cidade. O objetivo é proporcionar a apropriação de conhecimentos sobre cooperativismo para que de posse desse saber se possa organizar ações junto aos estudantes. Esta é uma ferramenta pedagógica relevante que pode ser utilizada pela escola também como estratégia para elevação das proficiências de aprendizagem, propósito primordial da Escola João Beraldo.
Com eficiência Virgínia proporcionou aprendizado para todos através das atividades desenvolvidas aproximando todos do tema e levando a ampla compreensão dos conceitos, símbolos, história, valores, princípios  e às diversas nuances que envolvem o assunto,  além das informações sobre a presença do cooperativismo na cidade de Carlos Chagas.
No  trabalho de grupo aprendemos que a finalidade do Cooperativismo é de oferecer melhores condições econômicas e sociais aos seus cooperados, pois a cooperativa em si, não possui finalidade lucrativa. Vimos que uma Cooperativa é um instrumento de promoção dos interesses de seus membros e entendemos também no trabalho de grupo que este tipo de organização social é uma forma de atividade econômica de proveito comum, baseada na igualdade de direitos e não na apropriação do trabalho alheio, cujo cooperado é ao mesmo tempo dono e usuário do empreendimento.
O desafio para a Escola junto a seus pedagogos e professores após esta oficina é de  buscar agora ideias e metodologias que possam facilitar a implementação do tema  junto aos estudantes como um todo, uma vez que temos obrigação sobre um currículo a ser seguido  e em andamento na escola. É preciso no entanto encontrar formas de conciliar a temática do cooperativismo e o currículo praticado uma vez que a escola já tem seus tempos de ensino e aprendizagem bem definidos.  A abordagem exercitada pela facilitadora Virgínia junto ao coletivo profissional possibilitou o aprendizado prático e o conhecimento teórico sobre o contéudo solicitado junto ao SEBRAE. Os princípios e valores que fundamentam o cooperativismo não diferem muito dos educacionais em geral  e daqueles reformulados e estabelecidos no Projeto Político Pedagógico da Escola João Beraldo em reunião do dia 04 de junho, terça feira. 
Os professores concluíram no  trabalho de grupo que para trabalhar a Educação Cooperativa de forma a atender ao nosso grande desafio que é o de elevar os índices de aprendizagens dos nossos estudantes, se necessita difundir na escola o conceito de Cooperativismo, trabalhar eficientemente os valores e princípios que fundamentam esta forma de organização social e econômica, agir pela sensibilização acerca da  temática e fazer um levantamento das necessidades do estudantes oportunizando oficinas e ações junto aos mesmos. 
Quanto à Comunidade Escolar em geral os participantes da oficina colocou como imprescindível o envolvimento da família, a motivação e participação dos docentes e discentes e a necessidade da construção de um Projeto de Vida por parte dos estudantes, o estabelecimento do respeito e da busca de uma escola colaborativa onde os  estudantes sejam protagonistas do seu próprio conhecimento. 
A oficina se deu com momentos de grande interação, quando por exemplo Virgínia quis enfatizar a grande importância do trabalho em equipe oportunizando a experiência do jogo em que era simulado a sobrevivência do grupo que melhor se organizasse para salvar a vida de todos os viajantes de um barco que estava simbolicamente afundando. 
Gostaríamos de destacar a competência e energia de Virgínia expressada pela Vice-Diretora Juelice que se referiu a mesma desta forma: 
“Estamos todos imbuídos com a sua fala, a sua doce presença, a sua leveza e paz de espírito. Ontem fomos muito além de uma capacitação. Mergulhamos com você no mar do cooperativismo e deu no que deu. Foi muito amor envolvido. Continue com esse jeito gostoso e sereno de transmitir conhecimentos.” Juelice Coutinho.
                                                        

Nossa gratidão vai para...
... Renata do Sebrae, sempre disponível a servir, a Valdeí-Presidente do Sicoob, um senhor a frente de uma instituição financeira que tem um profundo compromisso social, demonstrado nos vários serviços prestados à comunidade de Carlos Chagas, à Virgínia e seu importante compromisso com o conhecimento bem como o seu notório desejo de plantar idéias nos corações e a todos os profissionais da escola que entendem a imensa necessidade de nos capacitarmos sempre para esta importante missão de educar. 
                                   Deodato Gomes Costa

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Escola João Beraldo institucionaliza o dever de casa, como instrumento de correção de defasagem na aprendizagem do aluno.


Dever de Casa é uma ferramenta pedagógica que estimula o processo de aprendizagem e faz os estudos se tornarem mais produtivos. Ele é relevante para ajudar na correção de defasagens na aprendizagem e está bem relacionado ao desempenho dos estudantes o cumprimento desta modalidade de  atividades. Os estudantes que apresentam os piores desempenhos são aqueles que não realizam as atividades de casa.

Atividades direcionadas para casa implica em: autoaprendizagem, autoconhecimento, reflexão, expressão e crescimento pessoal.  Tendo em vista  proporcionar uma vivência maior com atividades de estudo para além da sala de aula é que se institucionalizou a ferramenta do  dever de casa entre os estudantes da Escola João Beraldo.

Vantagens que o Dever de Casa traz para os estudantes:

1 – Assimilação do conteúdo
Para assimilação do conteúdo é necessário que o aluno pratique muito (principalmente fora do ambiente escolar). Algumas matérias, como matemática, exigem uma prática mais intensa através de exercícios para fixação.
2 – Competências Adicionais
A lição de casa faz com que o aluno desenvolva competências adicionais que, muitas vezes, não são desenvolvidas na escola por falta de tempo.
3 – Autodisciplina
A autodisciplina é a habilidade mais difícil de ser trabalhada. Assim, os deveres de casa ensinam o aluno a desenvolver essa competência – que chega acompanhada de outras características como auto-responsabilidade, organização e capacidade de concentração – na prática.
4 – Capacidade de Memorização
O dever de casa faz com que o conteúdo ensinado permaneça mais tempo na memória do aluno. Isso ocorre, porque informações repetidas são registradas com maior facilidade pelo cérebro.
5 – Desenvolvimento do Hábito de Estudo
A freqüência das lições de casa possibilita que o estudante estabeleça uma rotina, o que contribui para o desenvolvimento cognitivo e, conseqüente, para o hábito de estudo.
A supervisora Eliete, num excelente trabalho, organizou neste bimestre as questões apresentadas pelos professores, como você pode ver no link abaixo.
Dever de Casa

domingo, 9 de junho de 2019

FESTA JUNINA 2019 NA ESCOLA JOÃO BERALDO – Nosso sincero agradecimento!

SOBRE AGRADECIMENTO, PARTICIPAÇÃO E FESTA JUNINA NA JOÃO BERALDO!



NÃO É APENAS SOBRE FESTA JUNINA, É SOBRE  AGRADECIMENTOS, SOBRE FESTA E PARTICIPAÇÃO, SOBRE FESTA CONSTRUÍDA COM COLABORAÇÃO DE PROFESSORES, RESPONSÁVEIS, ALUNOS E TODOS OS SERVIDORES. E SOBRE AGRADECIMENTO E FESTA tenho a dizer que cada vez que PLANEJAMOS e  REALIZAMOS algo, somos imbuídos por sentimentos de preocupação, dedicação, organização, esforço, empenho e, principalmente, UNIÃO. Aprendi que nas ações do ser humano não importa as intenções, o que conta mesmo é o resultado. O Planejamento de mais de um mês,  o empenho e o abraçamento de todos ao Projeto de Festa Junina na Escola João Beraldo foi tão bem encaminhado que garantiu o sucesso e os excelentes resultados resultados!

Todos esses sentimentos dão lugar à gratidão quando atingimos resultados nas dimensões participativas, colaborativas, e financeira. A nossa Festa foi sucesso em todas elas. Existe resultado maior do que o fato de estar à frente de um evento que mexeu com toda a escola e garantiu um maior congraçamento e união de todos por meio do trabalho?  Valeu a pena todo o empenho!

Diante deste dia 08 de Junho de 2019, sábado,  só nos resta mesmo a gratidão a todos,  aos nossos alunos pelas  apresentaçõese doações; aos pais e familiares pela presença e ajuda sempre tão carinhosa; à comunidade que muito fez e aos professores e funcionários pela dedicação e pelo trabalho incansável.

Agradecemos, enfim, a Deus, nosso Pai, por cuidar de todos nós e por permitir horas de convívio, alegria e diversão com muita paz e segurança.

O resultado é positivo em todos os sentidos. Aprendemos muito com a diversidade, aprendemos também a construir e a realizar  projetos de trabalho apesar das inesperadas incertezas! As vitórias nos dão confiança para prosseguir, e nos fortalece para enfrentar os desafios que estão por vir. Seguimos com serenidade e com a imensa sensação de que cumprimos o nosso dever de gestor, os professores o seu dever de docente, pais e estudantes a sua parte nesse processo vivo e dinâmico que é uma eescola.
                  Valeu gente! Estou Feliz demais com o trabalho de todos! Pronto para mais mil momentos junto com vocês nesta Escola que inclui a nossa vida! Continuaremos juntos neste caminho de realizações. 

Por Deodato Gomes

Em 2019 a Festa da Escola João Beraldo foi assim.



NÃO É APENAS SOBRE FESTA JUNINA, É SOBRE  AGRADECIMENTOS, SOBRE FESTA E PARTICIPAÇÃO, SOBRE FESTA CONSTRUÍDA COM COLABORAÇÃO DE PROFESSORES, RESPONSÁVEIS, ALUNOS E TODOS OS SERVIDORES. E SOBRE AGRADECIMENTO E FESTA tenho a dizer que cada vez que PLANEJAMOS e  REALIZAMOS algo, somos imbuídos por sentimentos de preocupação, dedicação, organização, esforço, empenho e, principalmente, UNIÃO. Aprendi que nas ações do ser humano não importa as intenções, o que conta mesmo é o resultado. O Planejamento de mais de um mês,  o empenho e o abraçamento de todos ao Projeto de Festa Junina na Escola João Beraldo foi tão bem encaminhado que garantiu o sucesso e os excelentes resultados resultados!
Todos esses sentimentos dão lugar à gratidão quando atingimos resultados nas dimensões participativas, colaborativas, e financeira. A nossa Festa foi sucesso em todas elas. Existe resultado maior do que o fato de estar à frente de um evento que mexeu com toda a escola e garantiu um maior congraçamento e união de todos por meio do trabalho?  Valeu a pena todo o empenho!
Diante deste dia 08 de Junho de 2019, sábado,  só nos resta mesmo a gratidão a todos,  aos nossos alunos pelas  apresentaçõese doações; aos pais e familiares pela presença e ajuda sempre tão carinhosa; à comunidade que muito fez e aos professores e funcionários pela dedicação e pelo trabalho incansável.
Agradecemos, enfim, a Deus, nosso Pai, por cuidar de todos nós e por permitir horas de convívio, alegria e diversão com muita paz e segurança.
O resultado é positivo em todos os sentidos. Aprendemos muito com a diversidade, aprendemos também a construir e a realizar  projetos de trabalho apesar das inesperadas incertezas! As vitórias nos dão confiança para prosseguir, e nos fortalece para enfrentar os desafios que estão por vir. Seguimos com serenidade e com a imensa sensação de que cumprimos o nosso dever de gestor, os professores o seu dever de docente, pais e estudantes a sua parte nesse processo vivo e dinâmico que é uma eescola.
                  Valeu gente! Estou Feliz demais com o trabalho de todos! Pronto para mais mil momentos junto com vocês nesta Escola que inclui a nossa vida! Continuaremos juntos neste caminho de realizações. 
Por Deodato Gomes

sexta-feira, 7 de junho de 2019

A Escola João Beraldo coloca à venda os ingressos antecipado para a sua Festa Junina com o DJ Jonas a 5,00 reais na Secretaria da Escola.


 A Festa acontecerá no dia 08 de Junho de 2019 (sábado).  A compra do ingresso pode ser realizada a partir das 7h da manhã deste sábado, dia 08 de Junho na Secretaria da Escola. Lembramos que o ingresso comprado na Secretaria da Escola João Beraldo antecipadamente é 5,00 (cinco reais). Os ingressos na portaria da festa será vendido por 10,00 (dez reais).

quinta-feira, 6 de junho de 2019

Um Ipê por três Ipês carregam a sinergia da Festa Junina na Escola João Beraldo em 2019! Pode vir que vai tá bom e você vai gostar! Ao final ouça a divulgação da nossa Festa.


Este Ipê, muito floria, trazendo serenidade à Comunidade Educacional João Beraldo durante muito tempo, antes do seu espaço virar sala de aula. Sob o reflexo desta imagem que ficou em muitas pessoas, vimos nos alegrar com todos vocês  que trabalham pela Festa Junina 2019,  com tanto afinco. Todos, de uma forma ou de outra vivem esta sinergia indistintamente. Da decoração empreendida por D. Ana, às doações de professores, alunos, servidores da cantina e da secretaria que não mensuram esforços para fazer acontecer. O Ipê que não existe mais, e que tentamos resgatá-lo nos três novos Ipês que plantamos em outro lugar da escola, e o trabalho de todos pela Festa Junina 2019,   nos confirmam a importante verdade,  escola sempre é fruto do amor coletivo daqueles que não se cansam da esperança de um mundo novo entre a gente. 
NOSSA FESTA JÁ É UM SUCESSO, PORQUE TEM O  COMPROMETIMENTO TOTAL DE TODOS!
O amor efetivamente move a educação  e faz a nossa Festa Junina assim como um educador movido por um jardim que trazia dentro de si um dia, plantou o Ipê que hoje só existe na memória de quem o vivenciou e que florescerá nos três novos Ipês fincados em outro lugar do Pátio da Escola.  Obrigado colegas por todo seu abraçamento e motivação que faz vivo esta atmosfera do bem. Sem imposições e com diálogo, vamos construindo e cada um vai encontrando seu lugar de trabalho neste lindo movimento de preservação das nossas tradições Juninas em  2019.

Três novos Ipês foram plantados, e vão trazer mais beleza para o pátio da Escola.



DIVULGAÇÃO DA NOSSA FESTA.



INOVAÇÃO TOTAL NA FESTA JUNINA DA ESCOLA JOÃO BERALDO COM O DJ JONAS!

segunda-feira, 3 de junho de 2019

Alteração no ECA passa a exigir autorização judicial para menores de 16 anos viajarem desacompanhados dos pais ou do responsável legal.


Vamos procurar maiores esclarecimentos com o Professor Roberto e Dr. Valdeí dois advogados que trabalham na Escola para buscarmos os procedimentos a serem adotados para realização das nossas excursões. Mas vemos que sem sombra de dúvida esta é uma forma interessante de prevenir desaparecimentos, sequestros e outros crimes envolvendo crianças e adolescentes menores de 16 (dezesseis) anos. Postamos a lei em link a seguir. Leia e se informe melhor.

A partir de 16 de março de 2019, o artigo 83 do ECA foi alterado por meio da lei 13.812 e, com essa alteração, nenhuma criança ou adolescente menor de 16 (dezesseis) anos poderá viajar (por qualquer meio de transporte – carro, ônibus, avião, trem, etc.) para fora da comarca onde reside desacompanhado dos pais ou de seu responsável legal sem autorização judicial. A pedido dos pais ou do responsável legal, é possível a concessão da referida autorização por um período de 2 (dois) anos.

Tal autorização judicial, contudo, não é exigida nos seguintes casos: (i) tratar-se de comarca contígua à da residência da criança ou do adolescente menor de 16 (dezesseis) anos, se na mesma unidade da Federação, ou incluída na mesma região metropolitana; ou (ii) se a criança ou o adolescente menor de 16 (dezesseis) anos estiver acompanhada de (a) ascendente ou colateral maior, até o terceiro grau, comprovado documentalmente o parentesco ou (b) de pessoa maior, expressamente autorizado pelo pai, mãe ou responsável.

A antiga redação deste artigo atingia somente os menores de 12 (doze) anos.

Nestes casos, a autorização judicial deve ser obtida no fórum da comarca onde os pais ou o responsável legal residem (ou nas varas de infância e da juventude, onde houver).

Por outro lado, na hipótese de viagem ao exterior, permanece a regra vigente desde a promulgação do ECA, em Imagem relacionada1990, isto é, a autorização é dispensável se a criança ou o adolescente: (i) estiver acompanhado de ambos os pais ou o responsável legal; ou (ii) viajar na companhia de um dos pais, munido de autorização expressa do outro por meio de documento com firma reconhecida.

Apesar da nova burocracia, visa-se a prevenção de desaparecimentos, sequestros ou outros crimes conexos envolvendo crianças e adolescentes menores de 16 (dezesseis) anos. Em caso de descumprimento da nova legislação, as empresas que permitirem viagens sem a autorização judicial podem sofrer sanções administrativas e até serem compelidas ao pagamento de multas.

Porque os adolescentes se automutilam?


Essa parece ser uma das perguntas mais frequentes da atualidade, especialmente nos contextos familiar e escolar. Pais de adolescentes tem manifestado muita preocupação com o fato de estar aumentando consideravelmente a frequência de autolesões em jovens. Essa temática também é uma constante no contexto escolar, emergindo como uma das maiores preocupações dos educadores.
Frequentemente os temas da automutilação, das tentativas de suicídio e do suicídio são tratados e discutidos por profissionais da saúde mental, mas esses fenômenos não devem ser exclusivamente pensados nesse contexto. Isso porque são fenômenos que ocorrem e são motivados por múltiplas causas, humanas, existenciais e pela interação de fatores individuais e sociais. Na medida em que o individual é coletivo, já que construímos nossas identidades e nos integramos psiquicamente enquanto sujeitos, na relação com o outro, com o coletivo é preciso situar a ocorrência de atos individuais no contexto social no qual ocorrem. Nada que seja da esfera do humano, nem mesmo os transtornos mentais, podem ser pensados exclusivamente pelo viés de um único saber, uma vez que se adoecemos, mesmo que psiquicamente, adoecemos num contexto específico, numa realidade histórica determinada.

Nesse sentido, antes de perguntarmos por que os adolescentes têm se ferido propositalmente, precisamos perguntar antes: quem são os adolescentes em nossa sociedade? Como os tratamos? O que esperamos deles? Estamos à disposição desses jovens em suas angústias? Em nossa sociedade, há espaço para sofrimento, dor e tristeza (falamos um pouco disso aqui)

Para a psicanálise (especificamente a do psicanalista inglês Donald W. Winnicott), ao menos desde os anos 1950 a sociedade ocidental tem cerrado o espaço de manifestação de angústia dos jovens. E, ao menos desde essa época, cada vez mais a tendência no âmbito social (de forma genérica) é tratar a adolescência como um problema, como algo a ser curado. Winnicott lembra que não há cura para a adolescência, já que essa fase do desenvolvimento humano e de preparação para a vida adulta não constitui uma patologia, nem um aborrecimento, mas uma fase de preparação pela qual todos nós, incluindo aqueles que tratam adolescentes como aborrecentes, já passamos. O psicanalista nos lembra, além disso, que o adolescente carrega toda a dinâmica psíquica previamente construída na infância: ou seja, o adolescente exterioriza sua maior ou menor preparação psíquica para a vida, para a construção da identidade e do Ser (próprias da adolescência), mas essa prévia integração psíquica depende de como foi a infância, entre outros aspectos. Aqui, podemos colocar outra questão: de que modo estamos, atualmente, investindo no cuidado e formação psíquica das crianças?
A adolescência é uma fase peculiarmente complexa pois combina diversos fatores que podem ser estressores: fatores hormonais, sociais e os psíquicos. E além desses fatores psíquicos que citamos, cabe salientar que o adolescente busca modos de se fazer sentir real em seu próprio corpo, e, na constituição de sua identidade pessoal, irá se isolar dos pais algumas vezes, buscar entender seu próprio espaço no mundo e no próprio corpo. Esses processos são esperados e nada tem de incomum. A questão é quando isso ocorre com problemas carregados da infância, de frágil constituição psíquica, de cobranças desde a infância para uma existência bem sucedida. É na infância que o potencial espontâneo e criativo se efetua e sem isso, ou com falhas nesse processo, o sujeito pode não conseguir se sentir real, pode se sentir em uma existência de vazio e isso pode emergir na adolescência. Winnicott enfatiza a importância do brincar na infância, mas atualmente as crianças parecem estar cada vez mais tendo seus currículos profissionais construídos. Há justificativas e méritos em investir na formação intelectual desde cedo, mas há também que se pensar nos excessos e nas poucas brechas que muitas vezes as crianças têm para brincar e serem crianças. Há ainda, certamente, que se pensar no caso a caso.
É preciso citar ainda outras variáveis: nossa sociedade é caracterizada por uma racionalidade competitiva, em termos de mercado de trabalho e de marketing pessoal em todos os sentidos. A ideia instituída como imperativo de que: “somos empresários de nós mesmos” nem sempre é declarada, mas estamos sob essa dinâmica e isso é fácil de verificar nos perfis das redes sociais. Só é declarado o melhor de si, o alegre, sorridente e realizador. E é claro que nossa existência não se reduz a isso; essa é uma fantasia perigosa para adultos, para adolescentes pode ser devastadora.

E qual é, então, a relação, a articulação de tudo isso com a automutilação? A automutilação em muitos casos é uma tentativa de transpor ao corpo, ao somático, uma dor que é psíquica e que portanto, é sem medida, é inominável. Pode parecer paradoxal, mas a autolesão pode ser uma tentativa de regulação emocional, de dar visibilidade a uma dor intangível na esfera emocional. É como uma tentativa de fazer a dor do corpo dar realidade ao próprio corpo, ao próprio eu, e silenciar, ao mesmo tempo, a dor psíquica. Se nossos adolescentes estão cada vez mais recorrendo a isso para aliviarem suas angústias precisamos, em resumo, levar em consideração todos os fatores que podem estar contribuindo para o crescimento desmedido de suas angústias psíquicas.  Se o adolescente não encontra espaço para relatar que nem sempre consegue corresponder às expectativas da escola, dos pais e da sociedade sobre ele, pode interiorizar o sofrimento e posteriormente, por não aguentar, exteriorizar essa mesma angústia em seu corpo. O comportamento auto-lesivo pode ser a alegoria de um pedido de ajuda que por diversas razões não conseguiu ser oralmente comunicado. Precisamos, portanto, abrir espaços genuínos para que os adolescentes exponham suas angústias sem serem julgados, deslegitimados ou desrespeitados. E é preciso que eles estejam certos e seguros da estabilidade desses espaços de diálogo e apoio, constantemente.

Por fim, sem dúvidas é preciso que todos estejamos atentos e que haja ações de intervenção no sentido da promoção da saúde mental e do tratamento adequado dessas ocorrências. Mas essas ações necessitam estar interligadas, articuladas a outras discussões mais amplas, em torno da promoção de equidade de direitos a todos, promoção de qualidade de vida e da reflexão ampla sobre a dignidade de vida, incluindo dos modos de vida, de constituição e de educação de nossas crianças e adolescentes. A discussão, passa e ultrapassa o contexto da saúde mental. É de todos.
Flávia Andrade Almeida é Psicóloga Clínica e Hospitalar, Especialista em Psicologia da Saúde, Psico-Oncologia e Prevenção do Suicídio. Atualmente Mestranda em Filosofia pesquisando o tema do suicídio à luz dos escritos de Michel Foucault. Autora do blog e página do Facebook “Psicologia e Prevenção do Suicídio

domingo, 2 de junho de 2019

A MATEMÁTICA DO RESTART E OS RESULTADOS DE MATEMÁTICA DOS ESTUDANTES BRASILEIROS.



Matemática
Restart
Vou começar por um, mas sempre preferi o dois
Ou melhor entre nós dois, eu quero algo a mais
E menos que isso, eu deixo pra depois
E três, eu não vou pensar mais em vocês
Se for pra ser eu quero par
Eu quero te mostrar
Tudo aquilo que eu ainda posso te ensinar

E as contas
São só pra te mostrar que o que conta
É a soma dos sorrisos e da paixão
A matemática do teu coração

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu te amo

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu, eu te amo

Eu vou pegar, tudo que você me der
E multiplicar como eu quiser
Pra chegar num resultado que não pode ser mudado
É fazer você feliz
Eu vou mostrar
Tudo que podemos somar
E ai de você pensar que eu vou dividir
Pois hoje é só o teu sorriso é que me faz sorrir

E as contas
São só pra te mostrar que o que conta
É a soma dos sorrisos e da paixão
A matemática do teu coração

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu te amo

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu, eu te amo (2x)

Assim como eu, eu te amo (2x)

A despeito de uma canção tão bonita, que dá um destaque à Matemática apresentando metáforas bem feitas  não podemos falar o mesmo da situação dos estudantes brasileiros quando se refere ao componente curricular. É chocante a realidade em que  o ensino e a aprendizagem da matemática no Brasil mostram resultados tão alarmantes. Os dados das avaliações externas  mostram como o ensino deste componente curricular precisa melhorar para o desenvolvimento do país. Desde a escola, governantes e população convivem com os resultados como se fosse uma situação normal.  70% dos alunos brasileiros de 15 anos não sabem o básico de Matemática. Eles estão alocados no Baixo desempenho, são incapazes de resolver problemas simples envolvendo números.

sexta-feira, 31 de maio de 2019

REUNIÃO DE RESPONSÁVEIS E PAIS TEVE GRANDE PRESENÇA E REFLEXÃO DO PENSAMENTO DE IÇAMI TIBA.


Comandada pelos professores a reunião de responsáveis teve grande presença de pais e reflexão sobre o pensamento de Içami Tiba sobre educação familiar e escolar. 

Professor Marcos Vinicius colhe a assinatura dos responsáveis pelos estudantes na entrada da Escola.

Houve presença significativa de responsáveis por estudantes da Escola João Beraldo nesta quinta feira dia 30 de maio. Na oportunidade professores e pais refletiram sobre o pensamento do psiquiatra e escritor Içami Tiba (1941-2015).  Educação familiar e escolar sempre foi um tema importante para o autor de “Quem ama educa”. Pais e educadores meditaram sobre  lições ensinadas por Içami de  como ajudar a formar indivíduos sádios e responsáveis nesta sociedade cada vez mais complexa. 
A reflexão aconteceu a partir de várias mensagens de Içami, que em grupo discutiram e escreveram suas impressões sobre as mesmas:
1. “Os filhos são como navios, sua maior segurança está no porto, mas eles foram construídos para singrarem os mares.”  2. “Nenhum projeto é viável se não começa a construir-se desde já: o futuro será o que começamos a fazer dele no presente.”  3. “A educação não pode ser delegada somente à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.” Içami Tiba
 Os responsáveis compreendendo o objetivo do trabalho se expressaram assim:
“criamos nossos filhos para a vida, mas sempre seremos o seu porto seguro.” “A educação dos nossos filhos e o seu fututo, depende dos ensinamentos que passamos a ele desde o nascimento.” “A educação começa em casa, para que na escola o nosso filho possa respeitar o próximo.” “A família dá estrutura para seguir o mundo lá fora. “A segurança dos filhos está na família” “A primeira educação vem de casa.” “A maior responsável pela educação dos filhos é a família, cabe a escola ensinar os currículos escolares e auxiliar na educação, porque o aluno passa pela escola e permanece para sempre na família. Filho é pra  toda a vida”.
Na reunião os responsáveis foram informados sobre: Festa Junina, Eleições de Diretor, Dever de Casa, além dos resultados bimestrais que foram entregues. 
Ao final da reunião foi servido um gostoso caldo de mandioca. 

quarta-feira, 29 de maio de 2019

REFLEXÃO SOBRE A NECESSIDADE DO SILÊNCIO DESENVOLVIDA NA REUNIÃO EM PREPARAÇÃO PARA O ENCONTRO DE PAIS.


Acenda a luz do silêncio para ouvir o barulho da vida. Em um mundo altamente conectado, em que todos têm algo a dizer, as oportunidades para reflexão e introspecção são - cada vez mais – um artigo de luxo
.A luz do silêncio é a inspiração que nasce quando me calo e ouço a voz do coração para em seguida transformar em poesia. Dou à poesia toda liberdade de se expressar. Num momento, ela se revolta com as injustiças, noutro é tocada pela paixão. Às vezes chora, outras vezes ri, ama, fica zangada. Nunca se cala, sempre quer dizer o que sente.
A escuridão do barulho é a nova praga da nossa vida. Antes a humanidade estava imersa num imenso silêncio, que se transformou hoje em uma jóia preciosa. O silêncio é coisa rara hoje em dia. Andamos lentamente pela nossa pequena cidade, e sempre deparamos com muito ruído. O som enfurecido de uma moto em alta velocidade corta os ares, passa a nossa frente e sobe aos nossos ouvidos. Um grupo de pessoas bebem em um bar com o barulho de um carro equipado de som automotivo. Somos constantemente tragados pela conversa alheia, em alto e bom som relatando seus feitos em outras aventuras seja em casa ou no nosso local de trabalho, e nós apenas querendo acender a luz do silêncio.
Mesmo em casa, após um dia de trabalho e estudo, nos recolhemos ao quarto para uma noite de sono – e o barulhinho (bom para alguns) do ventilador ou do aparelho de ar condicionado é companheiro de quem se defende do calor – e ainda pode pagar a conta de luz. 
Em um mundo altamente conectado, em que todos têm algo a dizer online e offline, as oportunidades para reflexão e introspecção são – cada vez mais – um artigo de luxo. O silêncio é cada vez mais em nossa sociedade uma luz escondida no fim do túnel. A poluição sonora é uma nova praga do mundo contemporâneo.
Os estudiosos atestam que o silêncio é fundamental para a transformação da experiência em conhecimento. A quietude é essencial para a saúde da mente humana. Como a luz é importante para os olhos. É preciso absorver o que está acontecendo à nossa volta, entender o que sentimos, pensar sobre o impacto das coisas em nossa vida. Sem esse “de-para” entre experiência e significado, ficamos presos a uma existência superficial, vazia, no escuro de um barulho ensurdecedor.
Acenda a luz do silêncio em todos os ambiente por onde passar. A vida mesmo é puro ruído entre dois silêncios abismais. Silêncio antes de nascer, silêncio após a morte. 
Silêncio é uma luz mental que nos permite comunicar profundamente com alguém.
Os silêncios são das maiores forças do crescimento psíquico. Representam tempos de iluminação, de resolução de conflitos, de reencontro, mas também são espaços de abertura, portas abertas à comunicação e ao preenchimento do que existe à nossa volta. Surpreendem. Marcam. Fazem adormecer, tanto quanto fazem sonhar.

INOVAÇÃO TOTAL NA FESTA JUNINA DA ESCOLA JOÃO BERALDO COM O DJ JONAS!


domingo, 26 de maio de 2019

Shallow - Lady Gaga e Bradley Cooper / Juntos e shallow now de Paula Fernandes e Luan Santana.

Música apropriada para trabalhar o inglês na escola, inclusive se torna interessante comparar o shallow da Lady Gaga e do Bradley Cooper com o shallow da Paula Fernandes e Luan Santana. Shallow significa raso, superficial. Na versão da Gaga, em inglês entendi que o relacionamento se tornou deep, profundo. A convivência atualmente entre o casal a que se refere a canção, "We’re far from the shallow now" saiu da superficialidade e por isso mesmo necessita ser mantido. a idéia é que se está longe dostante de um encontro superficial.
Com Luan Santana e Paula Fernandes é o contrário, o relacionamento esfriou, se tornou "raso", "superficial", comprovado por este trecho: "Pra vir buscar agora o que vivemos antes?" "juntos e shallow now". Segundo Paula shallow now foi possível na canção devido a licença poética, mas muita gente acha que soa mal, que poderia ser "juntos e ponto final" e que ficou aberrante.





sábado, 25 de maio de 2019

Reunião de Professores referência de turma.


Pauta:

  • Organização da reunião de pais
  • Conhecimento da Performance de ver para aplicação na reunião
  • Festa Junina
  • Outros informes.

Professores convocados por turma:


6º A Déborah Souza Costa

7º A Creuza Viana Almeida
8º A Roberto Barbosa Fonseca Filho
9º A Odeni Ferreira Souza
Rossini dos Santos Arcoverde
1º A Bárbara -Izabel Cristina Franco de Almeida
1º B Rigléia da Silva Pinto Santos
1º C Marielle Batista Ribeiro Cantão
2º A Ayume Rufino Paixão
2º B Adriano Pereira Alves
2º C Angélica Virgínia Coutinho Rodrigues
Fernanda Costa Amaral
3º A Terezinha Barreiros dos Santos
Lísia Lima Esquerdo Norte
3º B Ediléila Moreira Gonçalves Dias
EJA I Virgínia Costa Paim
EJA III Edilane Silva
Estão convocadas também: Eliete e Juelice.


sexta-feira, 24 de maio de 2019

Não se avexem! Venha! A Escola João Beraldo espera ocês neste sábado, dia 08 de junho, a partir das 19:00 horas, para a nossa Festa Junina.


Olá pessoal !!

A Escola João Beraldo espera ocês sábado, dia 08 de junho, a partir das 19:00 horas.
Está chegando a hora hein? E é com muito gosto que convido ocês pra participar de uma festança danada de bôa sô! Ôcês vão adorá, pois vai tê um monte de gente  bunita, prá tomar aquele quentão gostoso. Vai rolar quadrilha, muita dança.  É Escola João Beraldo fazendo a Festança.
Não se avexem! Venha!
A Escola João Beraldo espera ocês sábado, dia 08 de junho, a partir das 19:00 horas.