Bullying

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

Mostrando postagens com marcador INDEPENDÊNCIA DO BRASIL. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador INDEPENDÊNCIA DO BRASIL. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

INDEPENDÊNCIA DO BRASIL- qualquer pessoa é capaz de entender este movimento da nossa História. Aproprie dos personagens e da trama conhecendo o fato em si sem grande análises. Entenda, é muito simples e importante compreender a história do seu país.

A independência do Brasil em 07 de setembro de 1822 é o resultado de uma série de mudanças que a antiga colônia lusitana enfrentou a partir da chegada da corte portuguesa no Brasil em 1808. 

A Revolução do Porto provocou o retorno de D.João VI à Portugal que começou a fazer uma série de exigências ao Brasil.


Ficou no Brasil o filho de D. João VI, Pedro de Alcântara como Príncipe Regente. 

As cortes portuguesas tinha uma clara intenção de recolonizar o Brasil e adotou várias medidas:

  • envio de mais tropas portuguesas para o Brasil;
  • transferência de instituições do Rio para Lisboa;
  • e a exigência do retorno do Príncipe Regente, D. Pedro I, (aqui foi onde mais o bicho pegou):

Quando tomaram conhecimento das medidas estabelecidas pela corte portuguesa o Partido Brasileiro (PB), formado de um setor urbano e uma elite rural, se concentrou em garantir a permanência de D. Pedro I e em organizar uma forte resistência às propostas de uma nova constituição portuguesa.


O Partido Brasileiro(PB), organizou então uma Petição com 8 mil assinaturas de brasileiros e portugueses erradicados no Brasil, com o objetivo de pressionar D. Pedro I a ficar no Brasil. Este episódio acabou levando ao DIA DO FICO em 09 de Janeiro de 1822.



D. Pedro I anunciou sua permanência no Brasil. Em maio de 1822, estabeleceu que ordem vinda de Portugal só teria validade na colônia por meio da aprovação de D. Pedro I.

Em 7 de setembro de 1822, entre uma vigem do Rio de Janeiro e São Paulo, às margens do Rio Ipiranga,  D. Pedro I recebeu os últimos despachos de Portugal que revogava seus decretos e acusava seus ministros de traição, além de exigir novamente sua volta imediata para Portugal.



Em reação às cortes portuguesas, D. Pedro I optou pela ruptura definitiva, proclamando a Independência do Brasil.

                                                                Por Deodato Gomes