OBRAS DO SASI

OBRAS DO SASI
SASI

ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

SASI

SASI
SASI

ENEM

ENEM
ENEM

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Em continuação à nossa Semana em Movimento assistimos ao filme O Vendedor de Sonhos. Vivenciamos uma rica reflexão acerca da nossa responsabilidade. É inerente ao ofício do professor a necessidade de termos sonhos, de sermos portadores de esperança. É preciso sonhar os nossos estudantes. Olhar para eles com um olhar de futuro.

Para que os professores precisariam de sonhos?

OS SONHOS E OS PROFESSORES
Os professores, não precisam de sonhos para ter eloquência, metodologia, conhecimento lógico. Nem precisam de sonhos para gritar com os alunos, implorar silêncio em sala de aula, dizer que não terão futuro se não estudarem.

Os professores precisam de sonhos para transformar a sala de aula num ambiente prazeroso e atraente, que educa a emoção dos seus alunos, que os retira da condição de espectadores passivos para se tornarem atores do teatro da sua própria educação.

Precisam de sonhos para esculpir em seus alunos a arte de pensar antes de reagir, a cidadania, a solidariedade, para que apendam a extrair segurança na terra do medo, esperança na desolação, dignidade nas perdas.

Precisam de sonhos para serem poetas da vida e acreditarem na educação, apesar de as sociedades modernas a colocarem em um dos últimos lugares em suas prioridades.


Precisam de sonhos espetaculares para terem a convicção de que são artesão da personalidade e saberem que sem vocês nossa espécie não tem esperança, nossas primaveras não tem andorinha, nosso ar não tem oxigênio, nossa inteligência não tem saúde.


O filme está recheado de frases poderosas  que nos fazem pensar na nossa condição de ser humano dentro desta sociedade que suga o tempo precioso da convivência edificadora.Sabemos que o processo para se adquirir a “verdadeira riqueza” precisa ser uma constante:

“Insista nos seus sonhos.”
 “Não tenha medo do caminho, tenha medo de não caminhar.”
 “O primeiro a ser beneficiado pelo perdão é aquele que perdoa, não o perdoado.”
 “O segredo do sucesso é conquistar aquilo que o dinheiro não pode comprar.”
 “Quando alguém tira a própria vida, mata a si e também um pouco daqueles que ficam.”
 “Todo mundo merece uma segunda chance.”
“Você não morre quando o coração para de bater, morre quando, de alguma forma, deixa de se sentir importante.”

OS SONHOS E O TRABALHO
Nós não  precisamos de sonho para ser um trabalhador comum, massacrado pela rotina, que faz tudo igual todos os dias e que vive apenas em função do salário no final do mês.
Mas precisamos de muitos sonhos para ser um profissional que procura a excelência, amplia os horizontes de sua inteligência, fica atento às pequenas mudanças, tem coragem para corrigir rotas, tem capacidade para prevenir erros, tem ousadia para fazer das suas falhas e dos seus desafios um canteiro de oportunidades.
Precisaremos de sonhos para enxergar soluções que ninguém vê, para apostar naquilo que crê, para encantar seus colegas, para surpreender sua equipe de trabalho.

O ADOLESCENTE E O SÁBIO
Um dia um adolescente chegou diante de um pensador e perguntou-lhe: “Que tamanho tem o universo?” Acariciando a cabeça do adolescente, ele olhou para o infinito e respondeu: “ O universo tem o tamanho do mundo.”
Perturbado, ele novamente indagou: “que tamanho tem o meu mundo?” O pensador respondeu: “Tem o tamanho dos seus sonhos.”
Se os seus sonhos são pequenos, sua visão será pequena, suas metas serão limitadas, seus alvos serão diminutos, sua estrada será estreita, sua capacidade de suportar as tormentas será frágil.
Shakesperare disse que “ quando se avistam nuvens, os sábios vestem  seus mantos”.  Sim! A vida tem inevitáveis tempestades. Quando elas sobrevêm, os sábios preparam seus mantos invisíveis: protegem sua emoção usando sua inteligência como paredes e os seus sonhos como teto.
Os sonhos regam a existência com sentido. Se seus sonhos são frágeis, sua comida não terá sabor, sua primaveras não terão flores, suas manhãs não terão orvalho, sua emoção não terá romances.
A presença dos sonhos transforma os miseráveis em reis, e a ausência dos sonhos transforma milionários em mendigos. A presença de sonhos faz, de idosos, jovens, e a ausência de sonhos faz, dos jovens, idosos.


Sem sonhos nossas primaveras não tem flores!


É um momento de esplendor da natureza, onde as plantas  florescem. É quando  somos presenteados pelo universo com tamanha beleza. 21 de Setembro de 2017 É o início da primavera!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

SEMANA ESCOLA EM MOVIMENTO NA JOÃO BERALDO COLOCA EM DESTAQUE A DISCUSSÃO DOS RESULTADOS NAS AVALIAÇÕES EXTERNAS!


Realizaremos a nossa Semana Escola João Beraldo em Movimento. Retomaremos as nossas discussões sobre avaliação externa e interna com o  objetivo principal de vivenciarmos um momento de diálogo, reflexão e planejamento coletivo, a fim de empreendermos ações para o desenvolvimento da Educação em nossa escola e  contribuir para a promoção do desenvolvimento integral dos nossos estudantes.

·      Na quarta feira dia 20 – apropriação dos resultados pela equipe pedagógica, reunião às 17:30. Juelice, Neinha, Givanilma e Deodato. Levar o material que estudamos em uma das nossas reuniões pedagógicas com os gráficos e tabelas dos resultados da escola João Beraldo e distribuição de tarefas. 


·     Na quinta Feira dia 21 de Setembro de 2017 – Vamos assistir ao filme o Vendedor de Sonhos de Jaime Monjardim. Horas: 17:30 na Sala de Cinema JB.


Veja o trailer do filme que assistiremos:




·     Na sexta Feira dia 22 de Setembro de 2017 – às 17:30 realizaremos uma grande reunião com pais e responsáveis, quando entregaremos e discutiremos os resultados das avaliações com os pais.  Terá sorteios de brindes e de cestas básicas nesta reunião.


·      DIA DA VIRADA – 23 de Setembro de 2017 - Sábado  novo momento de uma discussão mais específica acerca dos nossos resultados nas avaliações em larga escala. Com ampla reflexão acerca do que podemos fazer para melhorar.  Os processos e os resultados das avaliações serão discutidos a partir dos seguintes eixos: Direito à Aprendizagem; Gestão Democrática e Participativa; Fortalecimento do Trabalho Coletivo; Relação da Escola com a Comunidade.




 Lançamento da continuidade da Campanha VEM, quando começaremos a chamar e a realizar  busca ativa de jovens em situação de evasão escolar. A Campanha irá acontecer de 25 de setembro a 30 de novembro. Discutiremos também o Plano de Ação produzido a partir dos Itinerários Avaliativos.

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Ser grato é fazer a memória do coração! Muito obrigado a todos pelas lindas palavras!...


Me sinto tomado por um imenso sentimento de gratidão. É a virtude das virtudes, o sentimento maior que todos os outros  sentimentos! Impossível  exprimir em palavras e em gestos a gratidão maior que sinto em estar aqui, viver o dia a dia desta escola e trabalhar  nesta convivência com tantas pessoas especiais. Me nutro de vida e me enriqueço a cada dia.




Obrigado pelo reconhecimento e incentivo sempre recebido! Obrigado pelos gestos bonitos de amizade e apreço por mim. Desculpe por muitas vezes não corresponder!... 



É nesta existência profissional, é convivendo nesta comunidade educacional que encontro estímulo para continuar caminhando, buscando, estudando. 




Aprendemos em um dos  filmes do nosso Projeto Cinema na  Escola,  que  as coisas mais bonitas não podem ser vistas ou tocadas, elas podem apenas serem sentidas dentro do coração. A educação é uma delas, é feita de sentimento e de gratidão.   O carinho e amizade   que chega, vem  impregnado de grandes  vibrações e força .

OBRIGADO FAMÍLIA JOÃO BERALDO! OBRIGADO MESMO POR TUDO!...
                                                                            Deodato Gomes 

É o tempo passou! Já se está na 37ª semana  deste bonito movimento de blogagem coletiva!  Resolvi fazer um tempinho hoje para postar, agradecendo uma homenagem recebida enquanto gestor de uma escola pública. Não tem sobrado tempo:  é o mestrado e a gestão me consumindo. Saudade de todos e de acompanhar tão ricas expressões da Blogagem Coletiva # 52semansdegratidão da Elaine Gaspareto.


terça-feira, 12 de setembro de 2017

Kits escolares começam a ser distribuídos na Escola Estadual Dr. João Beraldo em Carlos Chagas e os alunos fazem festa com eles!


A Escola João Beraldo  começou a  distribuir os kits escolares para os  seus alunos. E eles adoraram. Os nossos 231 kits foram retirados no quartel da cidade pelos funcionários Valdéi Gonçalves Viana e Luciano, conforme determinado pela Secretaria de Estado da Educação.


O Kit é composto de dois cadernos brochurão, um bloco de desenho e um mapa dos territórios e microterritórios de Minas Gerais. Esta ação vem suprir a carência de material escolar e garantir condições dignas de aprendizado aos nossos alunos.


É uma iniciativa adotada pela primeira vez na história da Educação do Estado. Sonhamos com mais movimentos como este,  em relação por exemplo ao uniforme e outras necessidades dos nossos estudantes. Que venham outros kits. Repito o kit uniforme então, seria uma excelente iniciativa Mas só temos que  nos sentir agradecidos por esta iniciativa pioneira. O material é de primeira qualidade e de qualquer forma ajuda no processo de aprendizagem. 

Nosso sonho: poder doar o uniforme ao aluno que não pode comprar.

Com relação ao mapa,  já solicitamos dos professores de Geografia Planos de Aula com foco no estudo  dos territórios e microterritórios. É um excelente instrumento de trabalho em sala e de construção de cidadania dos nossos alunos.

Vamos conhecer Minas viajando pelos seus territórios 

Este material vem ajudar na economia das famílias e significa  um gasto a menos, nestes tempos tão difíceis de crise econômica e política.


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

COPA INTEGRAÇÃO TERMINA E FOI UM SUCESSO!


Um jovem custa muito pouco,  uma bola, um ato corajoso de um jovem professor  e  um campeonato organizado. O Torneio  Integração foi um sucesso. No mais, é só  jogos e dezenas de partidas mobilizando jovens da nossa cidade e de outras cidades. Carlos Chagas tem uma boa estrutura esportiva e pode fazer muito mais. 


No esporte, como na Vida,  o grande desafio  a ser enfrentado  é o de semear e de colher. Para muitos jovens a curtição é só bola mesmo, vivem entre alegrias e  tristezas, e entre vitórias e derrotas  que os torneios proporcionam. Mas existe outra coisa? Parece que é só isto, mas não.  Eles saem dos torneios muito melhores que são, é muita escola.  Aprendem com a disciplina esportiva, com o respeito às regras e com a convivência no grupo. Terminam levando esta rica experiência para suas vidas.  E aí o esporte fica sendo uma grande ferramenta delineadora da personalidade jovem. Seguir a bola em todas as suas jogadas e jogos,  retiram muitas vezes nossos jovens de estradas  sombrias  e sinuosas. A bola é uma professora e ensina muitas lições e  abrem muitas possibilidades da juventude pensar o que ele vai fazer da sua vida. E quando ele extrapola, e para além  da bola,  parte para  organizar a sua vida pessoal e vai superando suas circunstâncias negadoras de sua vida.

É preciso semear mais esporte na vida da nossa juventude, com a intenção pedagógica de educá-los para a convivência social.  Custa muito pouco a bola com  seus torneios e suas jogadas educacionais, o que fica mais caro  é a atenção e o cuidado que se precisa dispensar  a estes meninos e meninas,  projetos de futuro. Neste aspecto de atenção e cuidado realmente  ele custa muito. Sim, porque é preciso dedicar tempo e paciência para ensinar e esperar  os frutos. Haja energia para estar com eles, os jovens. Pelo ímpeto e energia que naturalmente traz  sempre em alta em si, nos aborrecemos e decepcionamos por qualquer indisciplina praticada.   Boa parcela dos jovens da nossa cidade amam praticar esporte. A bola que arremessa, que chuta, que cria o grupo é a mesma que os distancia das drogas e da criminalidade. Quem já ouviu um depoimento de um jovem dizendo: "minha vida está perdida, não tem mais volta", sabe como é triste alguém se sentir encurralado e sem saída. Portanto campeonato neles... 




    Assim, foi, neste último domingo, no Ginásio Poliesportivo, a bola fazendo a alegria de muitos jovens atletas e torcedores. Olhe esta vibração abaixo! De onde vem esta vontade e esta energia boa que mobiliza esta juventude?


    Eles mostraram  fervorosa fé na bola e em si mesmos e deu uma plena comprovação de que custa  pouco encontrar uma estrada de paz. Custa pouco para não se sentirem sozinhos, perdidos e em um abismo. Que venham mais e mais integração envolvendo este segmento  dos jovens ligados ao esporte  naquilo que gostam muito de fazer,  antes que outras bolas perigosas da nossa cidade os  aliciam.  


   Ademais, mesmo diante de atos infracionais locais, onde os jovens são os autores,  assaltando celulares em plena luz do dia das pessoas de bem, pela fissura da droga, ainda assim nestes casos o elo da vida ainda não se perdeu. Situação que a menoridade penal não vai resolver. Um jovem pode nos decepcionar no presente, mas o nosso olhar sempre tem que ser um olhar de esperança, de futuro, de um ser que está em processo.
  

   Ninguém vai fazer uma  história bonita de vida se não for envolvido em suas paixões, se a sua educação não começar daquilo que está na zona de interesse do jovem! O Esporte está no âmago mais profundo do desejo jovem.  Quando eles transpõem as turbulências da adolescência ele toca seu projeto de vida e segue em frente. Todos sabem da injustiça que se comete contra os jovens, falta tudo para eles, inclusive política pública direcionada aos mesmos. E isto tem que começar no governo federal e vir caminhando e acontecer interfederativamente. 


   É triste, mas nossa geração ainda não vai ver o triunfo do Brasil. É estranho, muito estranho, um país que não cuida da sua juventude. Apenas 56,7 % dos jovens no Brasil concluem o Ensino Médio. O verdadeiro funil da exclusão.  Onde estão os outros 43,3 %?  Estes  estão sendo literalmente  expulsos da quadra do jogo já no primeiro tempo.  Estão acabando com o prouni, com o fies, com o sem fronteira, com a assistência estudantil aos jovens pobres nas universidades federais. Vai continuar o quê? Só as caixas de dinheiro escandalizando o país? Quanto de esporte educacional esta propina dava pra fazer? O jovem não tem nem onde se espelhar. Faltam  exemplo de homens público para nossa juventude.


   Todas essas coisas é de  uma terrível barbaridade. Uma violência também simbólica paira sobre a vida da juventude de nossos país. E ele nem sabe disso. 
   Sem a devida atenção hoje, eles  serão  os mesmos que continuarão a cometer os atos mais violentos amanhã.
  Na verdade, somos brandos demais com esta realidade, não há confronto comparativo diante dos governos, vamos calando e aceitando os desgovernos de forma silente e frequente.


     Claro que nos acomodamos e não vemos esse enorme poder arbitral que se instalou no país.
     Trabalhando há tanto tempo na educação de jovens reafirmo que o que se faz pelo jovem  é muito pouco, ou quase nada. É preciso muito mais do que cada escola faz. É preciso fazer mais pelos jovens. Vejo a educação como a grande redentora da vida deles! Um pré-vestibular popular muito incentivaria o acesso ao curso superior. Mais esporte educacional, mais lazer, sem alcool e sem lixos culturais para poluir a mente inquieta do jovem,  mais cultura inclusiva. Eles são o oxigênio novo que vem renovar a vida.  É preciso acolher o jovem, ouví-los e compreendendo o que  estão dizendo,  realizar mudanças na direção do que estão pedindo.



   Agora, o essencial e o importante, é que não haja desistência ou atire a toalha acabando com o pouco que ainda se tem. Quem é jovem e atleta ainda tem  muita história para construir e tradição para se inspirar. A educação faz e está  sempre na torcida, colaborando com o que se é e tem, para que mais almas jovens não se tornem anjos caídos em seu próprio sangue, como dizia o grande psicoterapeuta Içami Tiba.



   
O fundamental é que o nossa linda juventude, página de um livro bom,  tenha condições e oportunidades de registrar no livro da sua trajetória uma história de muito esforço e busca. Hey mundo jovem, o mundo é de vocês!...

Parabéns ao jovem Isaac, idealizador da Copa Integração, Walace e toda equipe que abraçou a causa junto com ele!...De vez em quando aparece um jovem corajoso que empreende esforço e faz!... 



 






 Aos nossos atletas que com humildade conquistaram o ouro e a todos os outros que participaram fazendo destes momentos uma verdadeira festa! A vida segue! Vamos em frente sempre e parabéns!




   

Mais do que nunca, precisamos estar todos juntos! Muita união e força nos caminho alegres  do esporte!

                                                                                     Deodato Gomes



sábado, 26 de agosto de 2017

Por ocasião da FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA através do Curso: “História e Geografia regional: o Vale do Mucuri em questão” relembramos aqui está jóia do cancioneiro popular que reporta as lembranças da Baiminas, como era popularmente chamada esta estrada de ferro.



Eros Jannuzi imortaliza com sua canção a estrada de Ferro Baiminas, fator fundamental da economia do nosso Vale no final do século xix e meados do xx. A morte planejada desta estrada em detalhes pelo governo militar, serviu aos interesses do capitalismo internacional. Apostar no avanço das rodovias e na acumulação da mais valia para as empresas automobilísticas, implicava no fim desta poética estrada, que deixou a população do vale desamparada.

Os sonhos e esperanças de muita gente foram embora com sua última viagem em maio de 1966.  Inaugurada em 1881 tinha uma extensão de 578 quilômetros ligando Araçuaí a Ponta de Areia.  A linda canção em que o poeta popular nos reporta a esta saudade é ao mesmo tempo um apelo veemente à preservação dos  objetos culturais remanescentes e históricos que restaram do patrimônio desta estrada.


O pesquisador Jaime Gomes, disse: “Um trem passou em minha vida” e hoje, alinhado a este pensar é que se tem a certeza  de que esta estrada está eternizada e marcada a ferro na alma de todas as gerações deste sofrido vale. É forte a lembrança e enseja muitas história de um tempo em que o Vale do Mucuri tinha uma ferrovia que  agora se imortaliza nos versos do Januzzi e na saudade da vivência de um tempo que foi muito bonito.                                                                                                                  
                                                     Deodato Gomes
Bem legal é esta reportagem.


quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Secretaria oferece formação continuada gratuita para estimular a prática esportiva nas escolas. A ideia central do programa é impulsionar a educação esportiva nas escolas, fazendo com que os alunos adotem um estilo de vida mais ativo e saudável. Inscrições iniciaram em 7/8

A Secretaria de Estado de Educação (SEE), em parceria com o Instituto Península, lançou, no dia 02/8, durante a etapa estadual dos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG), em Uberaba, o Programa Impulsiona. A iniciativa trabalha com a formação continuada na modalidade a distância (EAD) gratuita para professores de Educação Física, especialistas das escolas e professores do eixo Esporte e Lazer da Educação Integral, além de disponibilizar materiais em seu sítio eletrônico.


Estão disponíveis aos professores e especialistas das escolas, 08 cursos de esportes diferenciados, além dos cursos de Impulsionador Esportivo e Impulsionador Estratégico, durante o segundo semestre de 2017: Golfe, Miniatletismo, Hóquei, Tênis, Rugby, Goalball, Futebol de 5 e Ginástica. As inscrições foram abertas no dia 7 deste mês e podem ser feitas pela Internet.  

Faça sua inscrição neste Link:




Caberá às Superintendências Regionais de Ensino (SREs) fazer o acompanhamento da adesão dos professores de educação física dos Ensinos Fundamental e Médio , especialistas e os professores do eixo Esporte e Lazer da Educação Integral.


  A ideia central é impulsionar a educação esportiva nas escolas, fazendo com que os alunos adotem um estilo de vida mais ativo e saudável. Tem como objetivos centrais o incentivo a prática de novos esportes na escola, o trabalho com as competências socioemocionais por meio do esporte e dos seus valores e o fortalecimento da cultura esportiva em cada comunidade escolar. Por meio do seu compromisso com o desenvolvimento integral do aluno, o Impulsiona utiliza a temática do esporte para trabalhar as competências socioemocionais em cinco dimensões: abertura a novas experiências, consciensiosidade, extroversão, amabilidade e estabilidade emocional.



 O Impulsiona contribui para o fortalecimento da cultura esportiva, incentivando que alunos e professores resgatem os esportes, jogos e brincadeiras presentes na história de sua comunidade. Também viabiliza o reconhecimento de modalidades típicas de outras comunidades e países.

                                                                                                         Por Elian Oliveira (ACS/SEEMG)

FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA Curso: “História e Geografia regional: o Vale do Mucuri em questão” PROGRAMAÇÃO

 Professores de História e Geografia, 
A UFVJM, PUC, UNIPAC e SRE Teófilo Otoni estarão oferecendo o "Curso de Formação Continuada de Professores de História e Geografia: O Vale do Mucuri em Questão". O curso é destinado aos professores de História e Geografia do Ensino Fundamental e Médio da rede pública municipal e estadual.

PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO CURSO: 27 a 29/08/2017

CARGA HORÁRIA:  o 1º módulo terá carga horária de 16 horas, assim distribuída:
27/08/17:  8:00 às 12:00 -  trabalho de campo
28/08/17: 7:30 às 18:00 - UFVJM
29/08/17: 8:00  às 12:00 - UFVJM
Segue anexo a programação de todas as atividades para conhecimento.


FORMAÇÃO CONTINUADA DE  PROFESSORES DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA
Curso:  “História e Geografia regional: o Vale do Mucuri em questão”


 VEJA A PROGRAMAÇÃO  DO CURSO:
Acesse a ficha de inscrição abaixo e realize sua inscrição: 

             Os interessados deverão baixar  a ficha  de inscrição no link logo depois do vídeo-foto de uma das cidades do Vale do Mucuri, preenchê-la  e encaminhá-la para o e-mail: sre.totoni.capacitacao@educacao.mg.gov.br  até o dia 18/08/17, impreterivelmente, às 12 horas, pois as vagas são limitadas. Qualquer dúvida entre em contato com Andréia do Setor de Capacitação da Regional de Teófilo Otoni pelo telefone: 031 (33) 3087-2174





terça-feira, 15 de agosto de 2017

Aqueles que passaram pela nossa vida, não vão sós... Não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós.


Recebemos telefonema da Professora Neuzeli, que trabalhou na Escola João Beraldo de 1994 a 1997 com a disciplina de Matemática, nos informando sobre a morte de seu filho Evandro em um trágico acidente de moto em Montes Claros. Prá quem não se lembra a  Neuzeli é a esposa de Geraldinho que trabalhou no Banco do Brasil. Ela deixou vários alunos e amigos por aqui. 


Nossos sentimentos, à Neuzeli e Geraldinho.  O Apóstolo Paulo disse em 2 Coríntios 4:18 que as coisas que se vêem são temporais, e as que não se vêem são eternas.Sabemos que o físico morre, mas o espiritual que está em todos nós é eterno. Que Deus encha os corações de Neuzeli e Geraldinho de todo conforto necessário para superar a perda de um filho tão amado. Todos sabemos que as coisas mais lindas e maravilhosas, estão em Deus, portanto a própria vida está muito além do que podemos imaginar. Dói demais perder um filho tão jovem, e o consolo maior é Deus.


Se sintam abraçados por todos nós seus amigos de Carlos Chagas,  neste momento de dor. 
Toda força de Deus a este casal de Deus. 

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

OBRAS DO SASI-2017 - Meus filhos terão computadores sim, mas antes terão livros. É com estas palavras do Bill Gates que apresentamos aqui todas as obras do Vestibular Seriado-SASI. Agora é preparar para a prova dia 26 de novembro de 2017.


Vocês devem conhecer estas falas, “Meus filhos terão computadores sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, eles serão incapazes de escrever – inclusive sua própria história”. Acrescentamos mais ainda ao pensamento de Bill Gates, serão incapazes de perceber o mundo em que vivem, serão alienados, sem competência para entender seu espaço e seu tempo.  A declaração de Bill Gates expressa com lealdade a importância da leitura, principalmente neste momento em que você fará o Vestibular Seriado – SASI da UFVJM, bem como o ENEM.  Além de melhorar a escrita e estimular a imaginação, ela também proporciona diferentes tipos de conhecimentos em variadas áreas e para toda vida. A leitura integral da obra é fundamental, a opção pelos resumos não deve prescindir da leitura desta. Os resumos são simples instrumentos de rememoração do que foi previamente lido. Esteja atento às temáticas e aos aspectos das obras literárias.

Iª - ETAPA

2. Obras Literárias:
2.1.Estive em Lisboa e lembrei de você - (novela, 2009) - Luiz Ruffato



Olha o livro aqui logo abaixo. Digitalizamos para você.



Na vida há pessoas que são iguais a bolas coloridas de um jogo de sinuca, assim como uma bola colorida só se movimenta quando é afetada pelo movimento da bola branca é também deste jeito que o personagem Serginho, do livro estive em Lisboa e lembrei de você, talvez uma das únicas atitudes que ao longo da história ele tomou por sua própria conta foi para de fumar.
Para de fumar é somente um gancho para começar uma história, logo em seguida Serginho conhece Noemi e a engravida, o pai de Noemi faz questão de que os dois se casem, e ate da uma empurrada, pois ela é uma moça de idéia fraca, louca, mas durante a vida de casados vão surgindo desentendimentos e o ápice é quando em um dos seus surtos de loucura Noemi fica pelada em frente à prefeitura e então Serginho decide se separar dela.
O filho deles fica com a família de Noemi e ela vai para em uma casa de repouso, após isso a mãe de Serginho morre e ele e sua irmã passam a herdar a casa, ele decide vender a sua parte para sua irmã, e é aconselhado por um vizinho que imigrou de Portugal para o Brasil, a ir para Portugal.
Mas chegando lá novamente o leitor se depara com um Serginho completamente apático
hora ele desanima por que algum português não simpatiza com ele, e quando ele arruma serviço de garçom em um restaurante , ele se justifica por não obter grandes lucros com desculpa que o outro garçom é mais bonito fisicamente, fala inglês etc.
Depois de determinado tempo morando lá ele conhece Sheila, uma prostituta brasileira que foi morar na Europa.
Este livro faz parte de uma série chamada amores expressos , que tem como objetivo lançar livro que falem da temática amorosa em cidades internacionais, mas tanto a geografia de Lisboa quanto atemática amorosa são exploradas no livro de forma medíocres, e o personagem Serginho é tão fraco que no começo queria dar um empurrãozinho nele, mas lá pro final do livro a vontade que predomina em mim é empurrar ele ladeira baixo.


Você vai encontrar o filme no link abaixo que pode ser baixado mas precisa de um aplicativo para baixar o filme.

2.3.Ideologia - (álbum, 1988) – Cazuza




Ideologia é o terceiro álbum solo do cantor de rock brasileiro Cazuza, lançado em 1988. É considerado o seu melhor álbum de estúdio e ganhou o Prêmio Sharp de melhor álbum. "Ideologia" foi o primeiro disco de Cazuza a ganhar a certificação Ouro, pela ABPD, com vendas acima de 150 mil cópias. A AIDS (doença da qual sofria desde 1985) volta a se manifestar em outubro de 1987. Cazuza é internado na Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro, para ser tratado por uma nova pneumonia. Logo depois, ele foi procurar tratamento nos Estados Unidos. Ao voltar ao Brasil no começo de dezembro de 1987, depois de dois meses de tratamento no New England Hospital de Boston, Cazuza inicia as gravações para um novo disco. Ideologia, lançado em 1988, inclui os hits "Brasil", "Faz Parte do Meu Show" e a faixa-título.
Canções que fazem parte do Álbum:

1.  "Ideologia"   
2.  "Boas Novas"   
3.  "O Assassinato da Flor"   
4.  "A Orelha de Eurídice"   
5.  "Guerra Civil"   
6.  "Brasil"  
7.  "Um Trem para as Estrelas"   
8.  "Vida Fácil"   
9.  "Blues da Piedade"   
10.  "Obrigado (Por Ter Se Mandado)"   
11.  "Minha Flor, Meu Bebê"   
12.  "Faz Parte do Meu Show"    



IIª - ETAPA
2. Obras Literárias:






2.3. Construção - (álbum, 1971) - Chico Buarque





FAIXAS:
1 Deus lhe Pague 0:00
2 Cotidiano 3:19
3 Desalento 6:08
4 Construção 8:56
5 Cordão 15:20
6 Olha Maria 17:52
7 Samba de Orly 21:48
8 Valsinha 24:27
9 Minha História (Gesùbambino) 26:35

10 Acalanto 29:37

A Música Construção, 1971, que, junto com “Pedro Pedreiro”, é uma das canções emblemáticas da vertente crítica, podendo-se enquadrar como um testemunho doloroso das relações aviltantes entre o capital e o trabalho.
Com efeito, “ Construção ” retoma o filão inaugurado precocemente por Chico Buarque: o da crítica social, tendo como personagem um elemento do proletariado – no caso, coincidentemente, um pedreiro. Pois o protagonista de “Construção”, que não é nomeado, é apenas o sujeito oculto dos verbos na terceira pessoa, parece ser o “Pedro Pedreiro” que esperava o trem nos velhos tempos – nos idos de 1965, talvez um pouco antes – e que agora cai dos “andaimes pingentes” e se despedaça.
Trata-se de um dos textos mais rigorosamente “construídos” do compositor, de estrito rigor formal e apuro técnico. Significativo, aliás, que uma de suas canções mais “engajadas” seja, ao mesmo tempo, a de mais rigoroso travejamento formal.
É interessante ressaltar que “Construção” situa-se no bojo da maré de experimentalismo formal que, vestido das roupagens de “Estruturalismo”, “Construtivismo” e outros ismos vários, predominou entre nós no início da década de 70, tanto no pensamento crítico quanto na produção literária.

Mesmo tendo sido basicamente como o autor de “Construção” que Chico se criou um lugar de cantor dos oprimidos na Música Popular Brasileira, ele recusa, terminantemente, qualquer intencionalidade social no ato de compor essa canção. Em entrevista concedida à revista Status, por exemplo, faz declarações bastante interessantes para se abrir o debate das relações entre “Lírica” e “Sociedade”. Depois de declarar que “problema pessoal não dá samba”, Chico diz que “Construção” não era, dentro dele, uma música de denúncia ou de “protesto”.