Bullying

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

Mostrando postagens com marcador REI LEÃO. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador REI LEÃO. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 1 de outubro de 2019

Escola João Beraldo premia estudantes em concurso de frases sobre o filme Rei Leão


Encerrou o Concurso de Frases alusivo ao Filme Rei Leão, com a filosofia de Timão e Pumba, dois personagens bem simpáticos do filme que todos os estudantes da escola assistiram. A Hakuna Matata são as idéias defendidas por eles diante da situação de deserto em que Simba se encontrava quando foi banido do reino. Eles conseguem reencantar Simba e animá-lo a querer retormar Reino da Pedra, que havia sido dominado por Scar e a famigeradas Hienas. 
Para conhecer esta filosofia acesse o vídeo abaixo:



Foi proposto aos estudantes, depois de assistirem ao filme e discutí-lo com a sua turma e seus professores, a produção de uma frase bem significativa sobre a filosofia do Hakuna Matata. Quatro alunos venceram o Concurso de Frases e ganharam  1 camiseta alusiva ao tema. 

Parabéns para:

  • Ana Clara 2º ano A
  • Erick 7º ano A
  • Daila 2º ano C 
  • Jonathan 2º ano C

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Hakuna Matata do Timão e Pumba, é muito mais do que um esquecer de problemas.




O Rei Leão está relacionado com a história e com a filosofia da África. Timão e  Pumba explica para Simba naquele momento de deserto que ele enfrentava em que foi banido do Reino da Pedra,  o significado do Hakuna Matata, filosofia que eles aprenderam a seguir. Para Timão e Pumba Hakuna Matata significa _ “Os seus problemas você deve esquecer!”... Isso é viver, é aprender!” Esta é só a parte que aparece no filme dessa rica filosofia. Talvez toda a profundidade desta idéia que envolve os valores fossem mais interessantes de ser explicados por Timão e Pumba com as suas próprias vidas, com toda simpatia e  alegria ao cantar a Hakuna Matata.
A expressão Hakuna Matata na verdade está relacionada com um linha de filosofia africana chamada de UBUNTU. Por esta ideia a compaixão e a generosidade e todas as virtudes do ser humano estão unidas, porque todo o universo está conectado e submetido aos mesmos ciclos. Que tem momentos que são balançados pelo mal, mas sempre renova em um novo ciclo do bem. A canção o Ciclo da Vida, reflete esta idéia: “E o Sol à girar sob o azul deste céu. Nos mantém neste rio a fluir. É o ciclo sem fim que nos guiará” Tudo está ligado pela compaixão e tudo flui, caminhando no processo em que o novo nasce e renasce infinitamente. O Reino da Pedra consagrado a Simba pelo seu pai e  todo o reino é a expressão do sol que se pôe no entardecer da maturidade de Musafa mas renasce na manhã da inocência do próprio Simbá. Em Hakuna Matata,  o apelo para que Simba esquecesse a sua dor de ser um exilado de seu próprio reino, apresentado por Timão e Pumba é exatamente para que Simba, relembre dos fatos,  retome sua origens, encontre seu caminho,  interditado pela ganância de um tio, mal combinado  com famigeradas, egoístas e desumanas hienas. A este grupo só interessava a busca do poder, para destruir o bem, o amor e a caridade estabelecida no reino. É o ciclo da restauração, vislumbrada em Simba,  que luta para retomar um tempo de felicidade de todos os animais da floresta apesar da destruição da terra e das relações de confiança. Um poder que destruiu vidas para chegar ao topo da Pedra do Reino, sem medir consequencias e que espalha o ódio, a divisão e a morte. No Ubuntu, e em Hakuna Matata o que existe é o nós, expressão da convivênvia generosa entre todos que estão sujeitos ao eterno ciclo virtuoso da vida.  Os Simbás ressurgem ao longo da história para restaurar a ordem e a igualdade e banir com a opressão dos muitos Scar e suas  Hiena que insistem pelo ódio. No novo reino todas as criaturas se fartarão das riquezas produzidas e apropriadas pelos usurpadores do poder. Este é o caminho inevitável em direção a um bem maior“É o ciclo sem fim que nos guiará. À dor e emoção, pela fé e o amor. Até encontrar o nosso caminho. Neste ciclo, neste ciclo sem fim"

quarta-feira, 31 de julho de 2019

E aí gente, já assistiu ao novo Rei Leão?


E aí gente, já assistiu ao novo Rei Leão? 

   Os estudantes da Escola João Beraldo começaram a  assistir e o que a gente tem percebido é que este filme não saiu da memória afetiva dos nossos alunos, apesar do tempo que se passou desde a 1ª versão em 1994. É visível também o encanto provocado nos alunos. Impressionante como o filme atravessa com suas lições de vida o coração dos estudantes. Os alunos se identificam com Simba que foi traído e exilado de seu reino pelo próprio tio, o leãozinho precisa descobrir como crescer e retomar seu destino como herdeiro real nas planícies da savana africana.

       O filme  turbina a capacidade de dialogar com  temas bastante difíceis do nosso tempo como: morte, exibida com toda sensibilidade no assassinato de Mufasa;  ambição, através do comportamento maquiavélico de Scar irmão de Mufasa, nas atitudes para conquistar o poder do reino; a amizade, retratada com muito humor entre Pumba, Timão e Simba. Rei Leão trata destes assuntos tão complexos com muita suavidade e firmeza e por isso mesmo é que encanta. 
      Não é porque o assunto é difícil que a gente precisa deixar de falar sobre ele? Aliás, achamos que é o contrário... Quanto mais compartilhamos nossos medos e inseguranças, menores eles ficam, e o quanto mais partilhamos nossas amizades e alegrias mais elas se fortalecem. Vamos depois falar aqui da filosofia africana retratada no filme de forma bem leve chamada de Hakuna Matata.


domingo, 21 de julho de 2019

O visual do filme Rei Leão é encantador, os alunos não podem deixar de assistir.

Divulgação do filme em tela digital no Cine Teca em Teófilo Otoni

Desde que fiquei sabendo da estreia da nova versão do  Rei Leão, me preparei para ir assistí-la no Cine Teca em Teófilo Otoni. Faço isto porque gosto de cinema e também porque  conhecendo o filme posso estudar uma forma de viabilizar o mesmo junto aos nossos estudantes. É um lançamento que entra em circuito internacional com sessões praticamente ao mesmo tempo em todos os países do mundo e é muito bacana que os estudantes estejam conectados com crianças, adolescentes e adultos em torno deste filme  que está sendo projetado  em todo o mundo. É muito interessante se conectar com a cultura de massa que envolve os filmes da Disney, pois eles tem sempre um ensinamento relevante e educativo para repassar  de uma forma muito inteligente e atraente. Compramos o filme no mercado livre e vamos retornar das férias escolares assistindo. 

Clique na imagem abaixo e confira o cartaz com as informações no álbum.




 Me lembro que em 1994, por ocasião do lançamento do filme em  desenho que virou uma febre, os alunos da Escola  João Beraldo depois de assistirem fizeram atividades escolares relacionadas à temática do filme. Surgiram chicletes com  figurinha que apresentavam  cenas do filme  e que  depois de fixadas no caderno, pedíamos para os mesmos comentarem. O filme pode ser trabalhado em qualquer escola, em todos os níveis da educação básica, com possibilidades de muito sucesso, no desenvolvimento da leitura e da escrita além da construção e desenvolvimentos das habilidades socioemocionais. De primeira mão, você tem já de cara um dos itens mais importantes para  um trabalho pedagógico: a atenção dos estudantes, uma vez que já estão mobilizados para assistirem ao filme. 
Bilheteria no Cine Teca em Teófilo Otoni
Vários temas podem ser explorados didaticamente a partir do filme, o importante é que o professor deve utilizá-lo como instrumento pedagógico, assistindo antes e desenhando seu plano de aula, ao invés de passar o filme apenas como lazer. Muitos temas podem ser trabalhados  como por exemplo: a cadeia alimentar que envolve os animais, desmatamento, a filosofia de um dos personagens, o Pumba, a ambição e a inveja,  sentimentos tóxicos que destroem as relações humanas, amizade,  as queimadas, as relações familiares, o tempo (ciclo da vida), o conflito entre gerações (os adultos como responsáveis pelo planeta que vai deixar para as crianças e jovens) entre muitos outros. 
Filme deslumbrante e encantador de  crianças e adolescentes e  de gente adulta que não se emburreceu  e não perdeu a sensibilidade.


O filme é muito lindo e nos emociona, abrindo muitas outras possibilidade de trabalho didático com os alunos. Tendo os mesmos já a memória da 1ª versão fica tudo mais fácil, uma vez que a história é a mesma, mas agora com animação digital mais convincente e emocionante no remake, porque mais plausível. Os filmes da Disney são atraentes e verdadeiros sonhos. Vale a pena assistir. Quero muito oportunizar aos nossos alunos agora que não podem ir a Teófilo Otoni assistir e já compramos uma cópia no mercado livre. 
Vejam as coisas permitidas no Cinema para não fugir da etiqueta exigida para assisitir a um filme.

Quem for a Teófilo Otoni, vale a pena ir, no entanto a fila é grande para comprar o ingresso, que só é vendido para as sessões  no próprio dia a partir das 14:30 horas, mas quando se chega a fila já tá grande. O preço do ingresso é R$20,00 (vinte reais) a inteira e R$10,00 a meia, tendo que apresentar carteira de estudante e ou declaração da escola para garantir a meia entrada. As pessoas acima de 60 anos, com a identidade também pagam meia, desde que compre o ingresso com o documento. São três sessões: 16:00, 18:00 e 20 horas. 

A gente sai do cinema pensando como foi feito esta arte que tem esse grande poder de nos encantar, de tão real que nos parece. Os professores não podem deixar seus alunos fora da experiência de assistir esta versão que é muito mais forte e cheia de ensinamentos importantes.
                                           Por Deodato Gomes