Bullying

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

Mostrando postagens com marcador CANÇÕES. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador CANÇÕES. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Não desista do seu futuro: Carlinhos Brown e Lexa cantam música de campanha contra evasão escolar. #AulãoÉnaJoãoBeraldo


Globo, Fundação Roberto Marinho e parceiros lançam campanha que alerta sobre a evasão escolar, além de site para pais, alunos e professores.

 Letra:

Não abandone seu futuro

Dê duro... Lute por ele

(você não tá sozinho)

 

Não abandone seu destino

Só o ensino... Te leva lá

(você não tá sozinho)


Não abandone você mesmo

Recarregue... Pra recomeçar

(você não tá sozinho)


Agora tá difícil, irmão

Aprender com escola de mão

Mas vai passar, vai passar

Quem não parar, vai chegar lá


Não desista... Resista sim

Não desista... Desista não

Não desista... Do seu futuro

Não desista... Da educação

 

Se não dá pra ir pra escola agora,

Não deixe a escola ficar longe de você

Ligue, clique, se conecte

Não desista do direito... Seu direito de aprender


O mundo parou, parou

Mas ninguém vai parar você

Tá chato, tá - tá - tá - tá

Tá dureza, tá - tá - tá - tá

Mas uma certeza, tem - tem - tem - tem

Quem não parar vai chegar lá, meu bem


Não desista... Resista sim

Não desista... Desista não

Não desista... Do seu futuro

Não desista... Da educação



Ô DE CASAS �� ���� - Mônica Salmaso e Antonio Nóbrega

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Um Museu Paratodas, todes e todos - part. esp. Chico Buarque - Libras


Em comemoração ao dia da Independência, o Museu do Ipiranga e o Sesc lançam o videoclipe da música Para todos, de Chico Buarque. A canção recebeu arranjo inédito de Carlinhos Antunes e Gabriel Levy para a Orquestra Sinfônica da USP e Coral USP e conta com interpretações das cantoras Anastácia, Kaê Guajajara, Negra Li e Tainara Takua, além da participação especial do próprio Chico.


segunda-feira, 24 de agosto de 2020

NINGUÉM SOLTA A MÃO, NINGUÉM - Antonio Nóbrega, Wilson Freire - manifesto musical, reúne artistas como Gilberto Gil, Fabiana Cozza, Chico César, Mônica Salmaso e Renato Braz


São Paulo – Em meio ao fim de semana em que ocorrem várias atividades da campanha Virada de Democracia, o músico, dançarino e folclorista Antonio Nóbrega lançou ontem (4) um novo clipe, com uma marchinha intitulada Ninguém Solta a Mão de Ninguém. A ciranda é um espécie de manifesto musical em favor da vida, da cultura e da democracia em tempos de ascensão global do nazifascismo.

A canção foi feita em parceria com Wilson Freire e a gravação do clipe, feita a distância, reuniu as vozes de Nóbrega, Ayrton Montarroyos, Chico César, Fabiana Cozza, Flaira Ferro, Gilberto Gil, Isaar, Mestre Anderson, Mônica Salmaso, Patrícia Bastos, Renato Braz, Rodrigo Bragança, Rodrigo Sestrem e Sofia Freire.

Participam ainda de Ninguém Solta a Mão de Ninguém os instrumentistas Cléber Almeida, Daniel Allain, Edmilson Capelupi, Guto Wirtti, Léo Rodrigues, Marcone Túlio, Matheus Prado, Reynaldo Izeppi, Toninho Ferragutti e Zé Pitoco. E também dançam Flaira Ferro, Isaar, Maria Eugenia Tita (solo trompete) e Rosane Almeida.

NINGUÉM SOLTA A MÁO DE NINGUÉM

Uma onda diz vai, vai
Outra onde diz vem, vem
E de mãos dadas vão e voltam
Ninguém solta a mão,  ninguém

Nossa ciranda, da maré é um movimento
Em tempos de isolamento a ciranda vai rodar
E vai fazer entre nós mais uma ponte
Alargando o horizonte, dos sertões até o mar

Demos as mãos, nesta roda virtual
A ciranda contra o mal, ela não pode parar
Pois de mãos dadas a corrente não se parte
Contra o ódio, viva a arte, nossa voz não vão calar

Nossa ciranda, une os republicanos
Contra todos os tiranos que estão a governar
É uma aliança entre as forças progressistas
Contra os nazifascistas que voltaram a se agrupar

E faz trincheira com os povos da floresta
Defendendo o que resta, da fauna, flora e de ar
Contra o garimpo, que faz mata virar pasto
Agronegócio nefasto, que só pensa em lucrar

Nossa ciranda quer Congresso funcionando
STF julgando, cada qual no seu lugar
Sem ditadores, cala-boca, sem censura
Calabouço, sem tortura, sem exílio além-mar

Ela é maior que as muralhas lá da China
Do Wua-wuá à Conchinchina ela vai se alastrar
Como a ração, desses de tarrafa e rede
Arrastando a fome e a sede para além do lade lá

Nossa ciranda faz a onda, faz um laço
E no mundo dá um abraço, e abraçada vai lutar
Contra o racismo, flagelo da humanidade
Pela luz, fraternidade, pelo mundo vai rodar

Dança no passo, da ciência pro futuro
Não dá mão ao obscuro, aos que negam o benvirá
E essa dança que nasceu em uma praia
Ganha o mundo, se espalha, está em todo lugar

FONTE:Rede Brasil Atual.

sexta-feira, 21 de agosto de 2020

Gabriel o Pensador - A Cura Tá No Coração. Feat. Cynthia Luz -Pequena Reflexão do Pe. Nelito Dornelas nesta intertextualidade.


Dar sentido à vida

Pe. Nelito Dornelas

      Diante do momento presente de nossa história, das ameaças que nos atormentam e dos ânimos acirrados, devemos fazer nossas as palavras do Patriarca Ortodoxo Atenágoras:

Não tenho mais medo. A mais dura das guerras é a guerra contra si mesmo. É preciso chegar a desarmar- se. Tenho lutado nesta guerra durante anos. Foi terrível. Mas, hoje, estou desarmado. Não tenho mais medo de nada, porque o amor lança fora o temor. Estou desarmado da vontade de ter razão, de justificar-me, desqualificando os outros. Não estou mais em guarda, na defensiva, ciumentamente crispado sobre minhas riquezas. Acolho e partilho. Não estou mais particularmente voltado para minhas ideias e projetos. Se alguém me apresenta outras melhores, ou simplesmente boas, aceito-as sem mágoa. Renunciei ao comparativo. Aquilo que é bom, verdadeiro, real é simplesmente melhor para mim. Por isso não tenho mais medo. Se estamos desarmados, despojados, abertos ao Deus-homem que faz novas todas as coisas, Ele apaga o passado ruim e nos traz um tempo novo onde tudo é possível.

O músico Gabriel O Pensador, após a dura experiência da perda do pai, escreveu a música A cura tá no coração, visando arrecadar fundos para a campanha HC Com Vida, com o intuito de fortalecer a luta contra a covid- 19 do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina.

A letra, inspirada na oração de São Francisco de Assis, é uma auto crítica e uma chamada à reflexão sobre os nossos comportamentos antes da pandemia, em seus aspectos de “normalidade”. Ao mesmo tempo somos desafiados a uma nova postura de vida corresponsável pelo outro e consigo mesmo.

sábado, 15 de agosto de 2020

A ÚLTIMA MÚSICA - Composição de : Luccas Trevisani



Balara, Banda Santista do pop rock nacional que surgiu para o público em 2018. É formada por Luccas Trevisani (piano, voz, guitarra e violão), Danilo Finno (contrabaixo), Danilo Almeida (bateria) e Daniel Debski (guitarra, violão e backing vocal). É uma Banda que emana muita energia boa em suas canções, e legal que eles são os próprios autores de seus hits. A Banda Balara é boa para jovem curtir, porque suas canções são bem temáticas e traz mensagens bem interessantes para eles. Eles misturam muitos ritmos, do jeito que os jovens gostam. Esta canção é excelente para reunião pedagógica por isso fiz este pequeno trabalho.
Deodato.

segunda-feira, 8 de junho de 2020

Xote da Flor - Wilton Rodrigues - Clipe em Homenagem ao poeta.

 

A poesia de Wilton Rodrigues tem o encantamento da mensagem simples e sem desvios. As palavras são pinceladas de poema sem o sentido dos lugares comuns porque são plenas de vivências. Na construção lírica deste Xote, esse ritmo musical dançante,  a flor, o cheiro, o espinho, o mar, o mundo, enfim os termos que o compoem, impregnam o papel de metáforas marcadas por forte sentimento do imensurável. A ternura vai crescendo nos versos e estrofes do Xote da Flor, num jogo de sentimentos com vocábulos plenos de doçura, completamente tocados de amor e emoção. É singelo e fascinante ao mesmo tempo o Xote da Flor. Ouvir este poema-canção é mergulhar de alma em uma especial  candura. É imergir em uma melodia teimosa, em um mundo tão avesso ao  simples e ao belo. Aliás este é um exercício imprescindível para quem ainda acredita na poesia como instrumento de resgate de outros mundos possíveis, libertos dos rótulos alienantes. Xote da Flor, é uma canção que se popularizou entre sobrinhos, parentes e amigos, cantadas e recantadas nas reuniões de família,   e faz parte do único CD de Wilton Rodrigues, "Inconveniência Azul". Depois de tantas batalhas para ampliar o seu público para além de sua família e amigos, que não viu acontecer,  deixou este pequeno legado. Hoje, Addaê, seu filho, continua nesta estrada complicada da arte. Certamente Wilton Rodrigues, vivendo em outra dimensão,  é feliz, por o ver seguir uma carreira que tem tudo para ser sucesso. Qualidade musical e performance artística é o que não falta a esse jovem que tem tudo para construir uma história bonita.  

                                                                             Por Deodato Gomes Costa

sábado, 5 de outubro de 2019

Rubel - Ontem Ao Luar - Uma verdadeira pérola de Catulo da Paixão Cearense em nova interpretação.



Podemos dizer que esta canção é um jóia preciosa da canção brasileira. É linda demais este tesouro do Catulo da Paixão Cearense que está na memória da poética brasileira. A letra de Ontem ao Luar escrita pelo poeta e músico Catulo da Paixão Cearense, e melodia do flautista e compositor carioca Pedro de Alcântara de 1907 é simplesmente uma verdadeira obra de arte. Quando a gente dá uma passada pelo vocabulário que Catulo utilizou para expressar sua poética encontramos: nívea lágrima, taful, silente, dulçor, amaríssimo travor, todas palavras bem diferentes e desconhecidas para o nosso contexto atual. Esta canção realmente tem beleza raríssima comprovada pelas tantas gravações, que encontrei na rede. Desde 1930 ela foi gravada e regravada por: Vicente Celestino, Paulo Tapajós, Altemar Dutra, Fafá de Belém, Marisa Monte e agora a esta vestimenta nova bem intimista que Rubel conferiu a esta canção que virou tema de Carlos e Inês na novela Éramos Seis.

domingo, 2 de junho de 2019

A MATEMÁTICA DO RESTART E OS RESULTADOS DE MATEMÁTICA DOS ESTUDANTES BRASILEIROS.



Matemática
Restart
Vou começar por um, mas sempre preferi o dois
Ou melhor entre nós dois, eu quero algo a mais
E menos que isso, eu deixo pra depois
E três, eu não vou pensar mais em vocês
Se for pra ser eu quero par
Eu quero te mostrar
Tudo aquilo que eu ainda posso te ensinar

E as contas
São só pra te mostrar que o que conta
É a soma dos sorrisos e da paixão
A matemática do teu coração

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu te amo

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu, eu te amo

Eu vou pegar, tudo que você me der
E multiplicar como eu quiser
Pra chegar num resultado que não pode ser mudado
É fazer você feliz
Eu vou mostrar
Tudo que podemos somar
E ai de você pensar que eu vou dividir
Pois hoje é só o teu sorriso é que me faz sorrir

E as contas
São só pra te mostrar que o que conta
É a soma dos sorrisos e da paixão
A matemática do teu coração

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu te amo

Então deixa eu te mostrar
Que mesmo sendo difícil de explicar
Eu sei que você pode, pode me amar
Assim como eu, eu te amo (2x)

Assim como eu, eu te amo (2x)

A despeito de uma canção tão bonita, que dá um destaque à Matemática apresentando metáforas bem feitas  não podemos falar o mesmo da situação dos estudantes brasileiros quando se refere ao componente curricular. É chocante a realidade em que  o ensino e a aprendizagem da matemática no Brasil mostram resultados tão alarmantes. Os dados das avaliações externas  mostram como o ensino deste componente curricular precisa melhorar para o desenvolvimento do país. Desde a escola, governantes e população convivem com os resultados como se fosse uma situação normal.  70% dos alunos brasileiros de 15 anos não sabem o básico de Matemática. Eles estão alocados no Baixo desempenho, são incapazes de resolver problemas simples envolvendo números.

domingo, 26 de maio de 2019

Shallow - Lady Gaga e Bradley Cooper / Juntos e shallow now de Paula Fernandes e Luan Santana.

Música apropriada para trabalhar o inglês na escola, inclusive se torna interessante comparar o shallow da Lady Gaga e do Bradley Cooper com o shallow da Paula Fernandes e Luan Santana. Shallow significa raso, superficial. Na versão da Gaga em inglês, entendi que o relacionamento se tornou deep, profundo. A convivência atualmente entre o casal a que se refere a canção, "We’re far from the shallow now" saiu da superficialidade e por isso mesmo necessita ser mantidA a idéia de um relacionamento profundo.

Com Luan Santana e Paula Fernandes é o contrário, o relacionamento esfriou, se tornou "raso", "superficial", comprovado por este trecho: "Pra vir buscar agora o que vivemos antes?" "juntos e shallow now". Segundo Paula shallow now foi possível na canção devido a licença poética, mas muita gente acha que soa mal, que poderia ser "juntos e ponto final" e que ficou aberrante.





quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Os Grandes Sucessos de Demis Roussos



Na adolescência escutei muito estas canções. Ia muito a casa de D. Belinha,  mãe de Dingo e lá Dinalva ouvia muito Demis Rousso. Sempre que ia no quintal, lá estava Nalva ouvindo Demiss Rousso. Me impressionava muito aquelas canções. Eu fica ouvindo e pensando como eram lindas. Depois de um tempo na vida adulta resgatei esta escuta e a partir de então ouço sempre. Ele colocou sua suave voz a serviço do amor com canções imortais como: Forever And Ever, My Only Fascination  e Sing An Ode To Love. Vale a pena ouvir, reouvir e se encantar. 

Demis Roussos nasceu na Alexandria, em 15 de junho de 1946, e faleceu no dia 25 de janeiro de 2015 em Atenas na Grécia.  Foi um cantor grego de muito sucesso. Seu nome de batismo é Artemios Ventouris Roussos. Foi influenciado pela música árabe. Aos dez anos de idade já era fã do estilo jazz quando aprendeu a tocar trombeta. Depois que seus pais perderam tudo, a familia voltou para a Grécia, após a Crise do Canal de Suez, quando Demis tinha quinze anos. A partir de então, Demis participou de vários grupos musicais. O primeiro com dezessete anos foi o The Idols. Já nesse grupo Demis começou a destacar-se como cantor. Com o compositor Lakis Vlavianos, Roussos deu início a banda We Five, já como vocalista principal. Mas começou a ficar muito mais conhecido a partir de 1968, com a banda de Rock progressivo Aphrodite's Child, formada no reino Unido, com mais dois músicos gregos: Vangelis e Loukas Sideras. Mas, por falta de permissão para trabalhar na Inglaterra, o grupo mudou-se para Paris, que foi atingida pela Revolução de Maio de 1968.

O primeiro álbum foi Rain and Tears, com tremendo sucesso com vendas de um milhão de discos apenas na França. Nos próximos três anos o desempenho do grupo foi excelente. Com a voz estilo de ópera de Roussos, a banda passou a ter sucesso internacional, inclusive com o disco 666, lançado em 1970. A música recebeu uma série de críticas e logo após seu lançamento, cancelaram toda a agenda do grupo e decidiram seguir carreiras solo. 
                                                                         Pesquisado na  Wikipídia
Os Grandes Sucessos de Demis Roussos
00:00 - Forever And Ever
03:40 - We Shall Dance
07:13 - My Reason
15:07 - My Friend The Wind
19:01 - Velvet Mornings
22:41 - Lovely Lady Of Arcadia
26:07 - Someday Somewhere
29:14 - My Only Fascination
32:59 - Sing An Ode To Love
37:11 - Perdoname
40:11 -  From Souvenirs To Souvenirs
42:48 - Happy To Be On An Island In The Sun
45:55 - Mourir Aupres De Mon Amour
49:39 - Lost In Love [feat. Florence Warner]

sábado, 9 de fevereiro de 2019

Fábio Zanon – Américas Guitar - Violonista registra em álbum música de 16 países das Américas. Homenagem ao inesquecível Mestre Dema

Fábio Zanon, um artista brasileiro internacionalmente conhecido que tem completo domínio do violão, impressiona com a beleza do seu trabalho. Juntou música de todas as Américas  e gravou 22 peças de 16 países, ficou uma magnanimidade. Usei esta palavra porque não tenho outra para descrever.  Bom demais de ouvir a produção musical desses países executadas no violão de Fábio Zanon. O mundo põe tapete vermelho pra ele passar gente. De cara apaixonei pela faixa 5, chamada de Suite Colombiana nº 2,  inclusive fui atraído a conhecer todas as canções do álbum, por esta canção. Falo no meu jeito, são lindas e perfeitas demais estas músicas ouvidas assim. Ouça e me diga o que você pensa.






As músicas de todas as Américas estão integradas entre si formando um álbum representativo dos países - (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Haiti, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Uruguai e Venezuela) - o Canadá e Peru, ficaram de fora. São peças compostas originalmente para violão ou que ele arranjou para o instrumento, verdadeiras pérolas finamente lapidadas. 
Não canso de ouvir de tão encantador que é. Como de vez em quando compartilho as bonitezas que me atravessam, resolvi postar aqui no Girassol. Em uma entrevista, ele fala que a música tem que ter esse viés de felicidade em nossa vida. Ouvindo estas canções apresentadas assim nesta forma tão extarordinária parece que o universo, por meio destas preciosidades do Zanon, chama todo ser humano a harmonia, a viver a beleza e o amor a partir do outro. São 16 paises irmãos representados e unidos no álbum pelas peculiaridades de sua música. O chamado cultural é para a solidariedade e aceitação do diferente.  É um grande estudioso do violão e dá aula desse instrumentos em universidades de todo o mundo. Ele disse que para estudar violão não se pode se acomodar nas próprias facilidades,  tem pessoas com aptidão que acabam não se desenvolvendo. A afirmação do artista  serve para todo tipo de aprendizagem, inteligência fixa não existe, tudo é fruto de esforço e busca mas que Fábio Zanon nasceu gênio no violão, disso não se tem dúvida. 
Ouça todas as canções do Álbum:

Americas Fábio Zanon Guitar