Bullying

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

Mostrando postagens com marcador BNCC ÁREAS E SEUS COMPONENTES. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador BNCC ÁREAS E SEUS COMPONENTES. Mostrar todas as postagens

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Secretaria de Educação apresenta o Currículo Referência de Minas Gerais

O Currículo Referência de Minas Gerais foi apresentado a todos os professores sendo importante que os mesmos sintam parte deste documento, uma vez que somos nós quem o colocaremos em prática na sala de aula. Que surja da prática de cada educador e de cada escola formas de implementação de uma educação inclusiva, igualitária e democrática. 
É preciso que compreendamos a relação do Currículo Referência de Minas Gerais com o nosso dia a dia na escola, que tenhamos consciência e compreensão dos preceitos tratados por ele e que desenvolvamos a capacidade de trabalhá-los na sala de aula e na escola, a partir da nossa autonomia, de forma dialogada com nossos pares, com a gestão escolar e com os seus estudantes. É preciso que a partir deste documento se fortaleça os princípios do direito à aprendizagem de qualidade, da equidade, do reconhecimento e da valorização das diversidades, da inclusão e da gestão democrática e participativa, com vistas a promover a educação em sua integralidade.
CONTEÚDO FORMATIVO.
Professor este documento é o seu instrumento de trabalho, aproprie se do mesmo. 

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Ministro da Educação homologa etapa do Ensino Médio da BNCC



Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

É um conjunto de orientações que deverá nortear a (re)elaboração dos currículos de referência das escolas das redes públicas e privadas de ensino de todo o Brasil. A Base trará os conhecimentos essenciais, as competências, habilidades e as aprendizagens pretendidas para crianças e jovens em cada etapa da educação básica. A BNCC pretende promover a elevação da qualidade do ensino no país por meio de uma referência comum obrigatória para todas as escolas de educação básica, respeitando a autonomia assegurada pela Constituição aos entes federados e às escolas. A carga horária da BNCC deve ter até 1800, a carga horária restante deverá ser destinada aos itinerários formativos, espaço de escolha dos estudantes.

Itinerário formativos

Os itinerários formativos são o conjunto de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo, entre outras situações de trabalho, que os estudantes poderão escolher no ensino médio. Os itinerários formativos podem se aprofundar nos conhecimentos de uma área do conhecimento (Matemáticas e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas) e da formação técnica e profissional (FTP) ou mesmo nos conhecimentos de duas ou mais áreas e da FTP. As redes de ensino terão autonomia para definir quais os itinerários formativos irão ofertar, considerando um processo que envolva a participação de toda a comunidade escolar.

sábado, 15 de setembro de 2018

ENCONTRO MUNICIPAL DO CURRÍCULO DE MINAS - 14-09-2018



A canção que ilustra o video é Raindrops Keep Fallin' on My Head, de BJ Thomas, trilha sonora de um filme de 1960 chamado de  Butch Cassidy and the Sundance Kid. Flme muito premiado por sinal.

Os professores de Carlos Chagas cumpriram importante papel no grande ENCONTRO MUNICIPAL DO CURRÍCULO DE MINAS GERAIS que teve como objetivo discutir a versão preliminar do documento curricular que vai abranger toda Minas Gerais incluindo Carlos Chagas. O Estado de Minas entra na reta final da construção deste documento que vai determinar os conhecimentos, competências e habilidades imprescindíveis que os estudantes devem desenvolver ao longo da sua trajetória pela Educação Básica.





O documento neste encontro, que se encontra em sua versão preliminar,  foi submetido à apreciação de todos os professores que se dividiram em GT-Grupos de Trabalho por componente curricular com o objetivo de debater e contribuir com sugestões de inovações para o documento.

Este documento se encontra também em processo de Consulta Pública. Para participar, deve se fazer o cadastro e opinar sobre a pertinência e a clareza das alterações já inseridas à Base. Caso você responda não, tanto para clareza quanto para pertinência, abrirá uma caixa de texto para que se possa inserir detalhes e explicações acerca da  sua sugestão.
Pedimos a todos os professores que se cadastrem e  participem deste momento importante da definição de um instrumento que é essencial para a  nossa educação.




Para organizar o encontro, fomentar e articular os debates, uniu-se as forças, e foi criada pela Secretaria Municipal de Educação uma Comissão composta por membros da Secretaria, Diretores das Escolas Estaduais e privadas que juntos montaram a logística do encontro e fez os devidos encaminhamentos. Colaborativamente podemos muito.

O envolvimento dos presentes revelou o compromisso de todos e a vontade de  contribuir para a construção de um currículo que atenda a todas as redes de ensino do estado e consequentemente da nossa cidade. 

Enfatiza-se aqui a importância que este documento tem ao indicar os conhecimentos essenciais que os alunos de todas as escolas devem aprender ano a ano durante toda a sua trajetória na Educação Básica. No processo de construção do mesmo começa agora um período decisivo e de imenso desafio. Necessário se faz que todos os docentes conheçam, se aprofundem e  adequem seus planos de aula ao novo currículo de Minas, tornando-o uma espécie de Bílbia do seu fazer profissional. 
A partir deste documento será revisto todos os materiais didáticos, matrizes de avaliação e formação de professores bem como todas as políticas públicas educacionais serão repensadas e  alinhadas com esta carta curricular. 

Destacamos a presença do Ilustre Prefeito Municipal Acácio que em nosso encontro falou sobre o problema da falta de repasse dos recursos financeiros à Carlos Chagas por parte de  esferas de governos superiores. Segundo ele isso tem impedido a prestação de um serviço de qualidade para os cidadãos, inclusive forçando a Prefeitura a escalonar o pagamento dos professores, como aconteceu neste último mês.  Aos presentes disse que há um descompromisso do Governo do Estado, com a retenção dos recursos constitucionais do município. Falou com entusiasmo das suas realizações,  projetos e metas para a nossa cidade. 
Vivemos um tempo difícil imposto pela Emenda Constitucional nº 95 que reduziu os investimentos em educação de forma drástica e maldosa. Sabemos que educação não se faz sem investimento e estamos sentindo os efeitos desta emenda em todas as nossas escolas. O governo estadual também tem denunciado veementemente a falta de repasse de recursos federais para Minas. São praticamente as mesmas reclamações, inclusive sobre a discriminação de Minas Gerais, que tem sofrido com esta situação, obrigando o governo mineiro a escalonar o pagamento dos seus servidores.  As eleições é um caminho para corrigir estas situações para que todas as distorções sejam normalizadas, e cada ente federativo seja contemplado com aquilo que é devido constitucionalmente e possa  inclusive a normalizar o pagamento dos servidores de sua rede de ensino. Me perguntaram se os professores não reclamam de receber pagamento escalonado, respondi que já até acostumamos, porque sabemos que o nosso governador se tivesse os recursos nos pagaria em dia. Depois de mais de 50 mil nomeações que fortalece o serviço público, postura contrário do que acontece no país que vive a febre das terceirizações promovendo  o desmonte do serviço público e de aumentar o salário do professor em quase 50%,  o atual governador vai ficar na história. Nenhum outro governo fez pela Educação de Minas o que Pimentel tem feito. Sem falar da sua política Educacional que é construída e  discutida junto aos profissionais da educação sem as pressões que sempre sofríamos. Penso que se depender do segmento exclusivamente educacional Pimentel será reconduzido ao cargo por tudo que fez pela educação de Minas Gerais. Está é minha opinião. 

O Diretor da Escola João Beraldo teve também uma participação. Falou da importância deste documento enquanto ferramenta de trabalho para o docente e da necessidade dos professores conhecerem e se apropriarem do Currículo de Minas criando uma intimidade com o mesmo, estabelecendo um envolvimento com o movimento de construção deste documento que vai nortear o trabalho do professor em sala de aula. Este será um dos mais relevantes instrumentos de trabalho do professor, uma vez que ali estarão  conhecimentos essenciais que os alunos de todas as escolas do país devem aprender ano a ano na Educação Básica e subsidiará os planos de aula de cada docente. 

Na explanação do Diretor Deodato ele apresentou um pouco das idéias de currículo da Guiomar Namo de Melo, que define como sendo tudo aquilo que a sociedade considera necessário que alunos aprendam ao longo de sua escolaridade. A vertente teórica de currículo apresentada pela autora  que mais  fundamenta a BNCC e o currículo de Minas Gerais, combina conhecimento e aluno, tendo o conhecimento um poder emancipador, e o aluno um papel ativo em sua própria aprendizagem. Nesse sentido o conhecimento que é falível deve ser problematizado e alvo do contraditório não sendo suficiente apenas a sua apropriação mas sua efetiva aplicação às situações que demandam intervenção humana. Este é um dos requisitos do ensino por competência. A habilidade preconiza com o seu moderador esta exigência, ao contrário é continuar no velho ensino transmissivo e conteudista. Esta vertente, inclusive, considera insuficiente a reconstrução do conhecimento descomprometida com a intervenção na realidade. Por esta concepção o estudante é peça fundamental do processo de ensino e entendido como protagonista do seu próprio saber, que deve ser reconstruído utilizando estratégias que privilegiam  metodologias ativas que colocam como referencia a cultura e a realidade do estudante. A autora diz que:
“Reconstrução do conhecimento para um projeto ou um objetivo é o que o torna inseparável da intenção e do valor, por isso o conhecimento está centrado na aprendizagem e no resultado, entendido como aquilo que o aluno é capaz de saber e fazer. Por essa razão é também denominado currículo referenciado em competências”.
                                             Por Deodato Gomes Costa



Quem quiser ver o álbum com todas as fotos do evento educional, clique aqui:
Álbum completo com todas as imagens do evento

Parabéns a todos por este importante momento de cidadania e de construção de uma ferramenta imprescindível para uma educação democrática e de qualidade. 

O Encontro Municipal do Currículo de Minas Gerais aconteceu de acordo com o cronograma abaixo:
CRONOGRAMA
7:00 – Assinatura da lista de frequência dos servidores municipais e estaduais e funcionários das escolas privadas.
07:20 – Abertura
07:30 – Pronunciamento do Prefeito;
07:40 – Pronunciamento do Secretário Municipal de Educação;
08:00 – Explanação da BNCC pelo diretor Deodato Gomes Costa
08:40 – Lanche
09:00 – Encaminhamento para os grupos de discussão.
10:20 – Início da plenária – 11 minutos por relator
11:30 – Encerramento do encontro

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

CARLOS CHAGAS NA CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE MINAS

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) da Educação Infantil e Ensino Fundamental, homologada em Dezembro de 2017, é um documento de caráter normativo que define o conjunto orgânico e progressivo de aprendizagens essenciais que todos os estudantes devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica. 

O Governo Estadual e o Municipal pactuaram com o governo federal a (re)elaboração de um currículo baseados na BNCC, fazendo isso de forma participative e em regime de colaboração. Desenhou-se portanto uma Versão Preliminar do Currículo de Minas Gerais para a Educação Infantil e Ensino Fundamental.


Esta versão é o início de um processo de diálogo e construção coletiva. Nosso momento agora é de discussão com todas as redes e escolas da nossa cidade, que se dará por meio de um grande Encontro Municipal, organizado pela Secretaria Municipal de Educação em parceria com as escolas. Neste encontro se apreciará a Versão Preliminar do Currículo acrescentando ou desdobrando aspectos deste documento. 





Professor localize e imprima o contéudo do seu componente curricular ou lei em ambiente virtual. Tenha em mãos este documento para o dia 14 de setembro.
VERSÃO PRELIMINAR DO CURRÍCULO DE MINAS

terça-feira, 3 de julho de 2018

CESAR CALLEGARI DEIXA PRESIDÊNCIA DE COMISSÃO DA BASE NACIONAL CURRICULAR O sociólogo Cesar Callegari anunciou sua saída da presidência da comissão que analisa a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino médio; “O atual governo diz que o 'novo ensino médio' já teria sido aprovado pela maioria dos jovens. Não é verdade. Nenhuma mudança chegou às escolas e talvez para a maioria elas nunca cheguem", diz ele em carta ao Conselho Nacional de Educação (CNE)



Não posso deixar de repercutir aqui o fato do sociólogo Cesar Callegari ter anunciado sua saída da presidência da comissão que analisa a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino médio. Venho acompanhando a construção da Base do Ensino Médio e assistindo as audiências e vejo que esta é uma atitude coerente em decorrência das graves consequências da Lei que institue a Reforma do Ensino Médio bem como da Base do Ensino Médio e a  forma em que vem se constituindo. 

Em carta ao Conselho Nacional de Educação (CNE) com data de sexta-feira, 29, Callegari explica os motivos que o levaram à decisão. "Como se pode constatar no documento preparado pelo MEC, com exceção de língua portuguesa e matemática (que são importantes, mas não as únicas), na sua BNCC desaparece a menção às demais disciplinas cujos conteúdos passam a ficar diluídos no que se chama de áreas do conhecimento. Sem que fique minimamente claro o que deve ser garantido nessas áreas", diz ele.
 “O atual governo diz que o “novo ensino médio” já teria sido aprovado pela maioria dos jovens. Não é verdade. Nenhuma mudança chegou às escolas e talvez para a maioria elas nunca cheguem. Alardeia a oferta de um leque de opções para serem escolhidas pelos estudantes, mas na sua BNCC não indica absolutamente nada sobre o que esses “itinerários formativos” devem assegurar”, critica Callegari em outro trecho.
 “Ao defender essas posições e essas propostas perante o nosso colegiado e perante a sociedade, entendo não ser mais adequada a minha permanência à frente da Comissão Bicameral da BNCC. A presidência de um colegiado exige um esforço de imparcialidade que já não posso oferecer”, diz ele.
Leia a íntegra da Carta, para saber os principais pontos questionados.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Escola João Beraldo realiza encontro pedagógico com professores para auxiliar implementação da Base Nacional Comum Curricular.



Foi assim que concebemos nosso "Dia D da Base", como um momento formativo importante em que nos aproximamos ainda mais do documento e que atendemos ao chamado de engajamento ao processo de implementação da Base na escola. 
Para dar conta deste grande desafio de colaborar na transformação  da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) em currículo da rede estadual de Minas e da nossa escola,   é que os professores da Escola João Beraldo reuniram hoje, dia 04 de Maio de 2018, para discutir e conhecer mais profundamente este documento que é destaque na garantia dos direitos de aprendizagem de todos os estudantes e da qualidade social  da educação. É preciso que todos  os profissionais da escola se apropriem do conteúdo da Base para que possa levá-la à prática das  salas de aula na rotina do seu dia a dia um ensino sintonizado com as exigências do século XXI. 


Existem dimensões importantes que envolvem a implementação deste documento obrigatório  na construção do currículo do Estado de Minas Gerais e talvez a que se coloca como a mais importante é da grande necessidade do mesmo se tornar amplamente compreendido e exercitado pelos docentes. Se os docentes não tomar a BNCC como uma ferramenta importante de seu trabalho, como um recurso fundamental que surge para orientá-lo na preparação dos seus planos de aula, adquirindo completa familiaridade e domínio sobre o mesmo,  a Base estará fadada ao fracasso.  É de suma importância que nos habituemos com toda essa temática e ampliemos a nossa compreensão para que possamos colaborar na construção do currículo da rede estadual de Minas Gerais como um todo e da nossa escola em particular. 

Sugiro os vídeos com comentários, onde professores falam sobre os fundamentos da BNCC para cada componente curricular:
https://www.informativogirassol.blog.br/2018/04/na-area-de-linguagens-da-bncc-estao.html#links
Nesse sentido a Base Nacional Curricular vem provocar mudanças na dinâmica interna da escola promovendo a revisão do seu Projeto Político Pedagógico, alterando as relações do professor com as temáticas a serem trabalhadas, as concepções de educação, aprendizagem. Ou seja este documento necessita ser atualizado com as demandas do século XXI. É preciso fazer os devidos alinhamentos do PPP com a Base. O PPP direciona o fazer pedagógico, e a Base traz  determinações que devem ser contempladas no PPP, dispositivo  que norteia e conduz a dinâmica interna da escola. 

Depois do "Dia D da BNCC" que aconteceu na Escola João Beraldo e em todas as escolas de Minas, ocorrerão os desdobramentos importantes, conforme o calendário apresentado pela Secretaria de Estado, para que se efetive e aconteça o currículo, instrumento essencial para a conquista da qualidade educacional. Vamos conferindo os próximos passos, e acompanhando o cronograma apresentado:



Slides que usamos para apresentação da temática:
https://drive.google.com/file/d/1dL3zuOsHu4Tjkc6d2DoplLnv2BcNkrFQ/view?usp=sharing

Durante a apresentação assistimos estes vídeos do MEC, explicando as competências gerais e das áreas:

10 COMPETÊNCIAS GERAIS
http://midias.baseemacao.org.br/BNCC/BNCC_AS_DEZ_COMPETENCIAS.mp4





Enfatizamos que a Base é um documento complexo, obrigatório e para que este tenha sucesso no processo de implementação é importante o entendimento dos professores enquanto principal agente de implementação e de  transformação do documento em currículo escolar.
Resultado das nossas discussões:
https://drive.google.com/file/d/1Ad0JVdVLDfF7zUoEV8fNSNneIeNZlm2p/view?usp=sharing

Valeu colegas, aprendemos muito juntos!
                                                                   Deodato Gomes

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Na BNCC a área de Ciências humanas trabalha com os componentes de História e Geografia.

A BNCC estabelece que as Ciências Humanas devem contribuir para que os alunos desenvolvam a noção de contextualização marcada pelas categorias de  tempo e espaço.



Veja os aspectos fundamentais que a BNCC estipula para os componentes História






Veja os aspectos fundamentais que a BNCC estipula para os componentes Geografia.



A área de Ciências da Natureza tem um compromisso com o desenvolvimento do letramento científico


Ao longo do Ensino Fundamental, a área de Ciências da Natureza tem um compromisso com o desenvolvimento do letramento científico, ou seja, com a capacidade de compreender e interpretar o mundo (natural, social e tecnológico), mas também de transformá-lo.


O professor Herbert da Silva explica os principais pontos que a BNCC define para esse componente:


A matemática como componente da BNCC.


Em Matemática, a BNCC apresenta cinco unidades temáticas, correlacionadas, que orientam a formulação de habilidades a serem desenvolvidas ao longo do Ensino Fundamental. São elas: números, álgebra, geometria, grandezas e medidas e probabilidade e estatística.




A professora Maria Ignez Diniz, diretora do Mathema, explica as principais mudanças que a BNCC traz para o componente Matemática.

Na área de Linguagens da BNCC, estão inseridos quatro componentes: Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Artes e Educação Física. A ideia é que os alunos participem de diversas práticas de linguagem, ampliando suas capacidades de expressão tanto artísticas quanto corporais e linguísticas.


A área de LINGUAGENS da BNCC é composta por quatro componentes, são eles: Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Artes e Educação Física.

Abaixo apresentamos vídeos com os aspectos mais importantes que a BNCC define para cada um dos componentes da área. Pedimos aos professores que baixem em seu celular antes do nosso encontro do dia 04de Maio de 2018 – Sexta Feira.



Especialista fala sobre os pontos fundamentais da BNCC para o componente Língua Portuguesa.






Uma professora especialista destaca as principais mudanças que a BNCC traz para o componente Língua Inglesa. Entenda:





Priscilla Vilas Boas, professora de dança e mestre em Educação, fala sobre as mudanças que a BNCC traz para o componente Arte.





As mudanças que a BNCC traz para o componente Educação Física são explicadas pelo professor Luis Vasquinho.