ISENÇÃO

ISENÇÃO
ISENÇÃO

ESCOLA INTERATIVA

ESCOLA INTERATIVA
ESCOLA INTERATIVA

APRENDIZAGEM

APRENDIZAGEM
APOIO

AVALIAÇÃO

AVALIAÇÃO
AVALIAÇÃO

DIÁRIO DIGITAL

DIÁRIO DIGITAL
DIÁRIO DIGITAL

ENEM

ENEM
ENEM

Inscrição

Inscrição
INSCRIÇÃO

ENCEJJA

ENCEJJA
encejja

Instituto Avaliar - PAAE

Instituto Avaliar - PAAE
Instituto Avaliar - PAAE

MECFLIX

MECFLIX
MECFLIX

COPESE

COPESE
sasi

CAMPANHA CONTRA O BULLYING

terça-feira, 3 de julho de 2018

As Escolas e suas equipes gestoras tem um grande desafio, ensinar aos alunos como identificar um fake News.A escola pode ser uma grande aliada na luta contra a desinformação. Ensinar aos alunos como identificar uma notícia falsa (observar se há um autor ou se o texto tem muitos adjetivos e poucos fatos, por exemplo) é um bom começo. Além disso, analisar o que se lê com calma e resistir à tentação de compartilhar sem reflexão também ajuda a evitar que as notícias falsas se disseminem cada vez mais.

O que move as fake news?
Uma notícia verdadeira demora seis vezes mais tempo para atingir 1.500 usuários do que uma falsa. Entenda mais sobre o cenário de fake news e o papel da educação no combate à desinformação.

Uma notícia falsa tem 70% mais chances de ser compartilhada no Twitter do que uma verdadeira. Já uma história real demora seis vezes mais tempo para atingir 1.500 usuários do que uma falsa. Pior: os principais responsáveis são pessoas de carne e osso, e não robôs programados para replicar conteúdos nas redes sociais. As conclusões são do maior estudo feito até agora sobre o tema, produzido pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e publicado na revista especializada Science.
Para entender como as fake news se espalham, os pesquisadores estudaram notícias compartilhadas 4,5 milhões de vezes por cerca de 3 milhões de usuários do Twitter, entre 2006 e 2017. “Ao analisarmos a dinâmica de difusão de rumores, descobrimos que os falsos se difundiram mais longe, mais rápido, mais profundamente e mais amplamente do que os verdadeiros”, diz o estudo. Mas por que isso acontece?

Um dos motivos é o fator “novidade”: as pessoas tendem a compartilhar mais informações “inusitadas” ou aparentemente inéditas. Além disso, descobriram os pesquisadores, um tuíte de fake news costuma usar palavras que evocam mais emoção (em especial surpresa e indignação) do que um convencional.
RAIO X DA NOTÍCIA FALSA -126 MIL notícias em inglês foram analisadas no estudo pelos pesquisadores do MIT Deb Roy, Sinan Aral e Soroush Vosoughi.

3 vezes mais rápido é o compartilhamento de fake news sobre política, em relação a outros temas.
Reprodução da Revista Nova Escola, junho/julho 2018

Nenhum comentário: