CAMPANHA CONTRA O BULLYING

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Escola João Beraldo promove oficina com o artista plástico Nasser Gazel e encanta seus estudantes que participam de documentário sobre o mesmo.. Ao final da postagem veja o álbum com as criações dos alunos.


Desenvolvemos junto aos nossos estudantes o Projeto denominado Barro Bom envolvendo arte e educação,  com técnicas consolidadas pelo artista plástico Nasser Gazel e aplicadas aqui de uma forma eficiente e que trouxe excelentes resultados. Nossos estudantes, que vivem na sociedade da dispersão adoraram, porque o trabalho de Nasser é rico em vivências e oportuniza grandes momentos de reflexão e crescimento pessoal. 

Ele trouxe o processo técnico entremeado com  simplicidade e sabedoria de vida que foi fruindo nas criações e modelagens que  envolveu e encantou profundamente os jovens estudantes. Enquanto vai concebendo e plasmando uma peça no barro ele criava também uma narrativa,  uma história com conexões infinitamente ricas. Tudo isto com estudantes pouco afeitos a refletir, sujeitos passivos de um celular repleto de fakenews.  Muito bem norteado por Nasser o estudante ia refazendo caminhos, projetando sonhos e delineando seus projetos de vida ao mesmo tempo que ia externalizando ideias no barro. Disse a eles que depois desta importante vivência, jamais  seriam os mesmos estudantes. Ali foi amplamente se articulado uma subjetividade jovem que a meu ver se tornou um divisor de água naquelas histórias de vida, vítimas de uma sociedade que provoca a inquietude e tira os jovens do seu eixo e não os leva à perceber o mundo em que se encontram inserido.  Vimos muitos deles esquecidos a contemplar a própria criação, e ela refletiu muito das incertezas do nosso tempo. 
  Nasser, que tem obras no mundo inteiro apresentou vários dos seus trabalhos para os estudantes, proporcionando um sentimento mais pleno de vida e conexões com outros mundos que sua arte pode permitir. A documentarista Suze que veio de Belo Horizonte registrar a oficina para incluir no documentário, afirma que Nasser não tem noção do seu tamanho, com a qual concordo plenamente. 
Nossa aluna Millena Oliveira, se referindo ao momento que ela vivenciou com o trabalho, disse: "Foram dias  inesquecíveis". A escola não sabe o que fazer com a arte porque ela está projetada para além dos quadrinhos tão definidos da escola e porque são infinitas as possibilidades de articulação com este saber elevado.  A arte na escola é preciso, porque um saber escolar, uma sala de aula, um ensino todo repleto de marcações limitadoras, não basta. A arte torna se assim um chamado para infinitos mundos muito além das paredes de uma sala de aula. O que a gente acaba encontrando nela é a gente mesmo. Muito grato a este artista popular tão profundo, que trouxe esta riqueza para nossos estudantes e que apenas sua presença já ensina. Sua sintonia é com outros mundos, outras idéias, outros silêncios e outros barulhos, delicadamente fundamentados nos valores mais sublimes e imensamente capazes de despertar para as mais incríveis emoções humanas.  
As peças produzidas serão queimadas na casa do Professor João Vovô, o qual nós agradecemos por esta importante ajuda.

Que satisfação  para todos nós poder participar de um documentário sobre o artista. Para este fim 
recebemos Sulze, uma mecenas da arte, que veio de Belo Horizonte com a missão de integrar nossa oficina ao filme sobre Nasser,  esse grande artista popular.  Que maravilha que nossa escola pode contribuir para este documentário e ter nossos estudantes participando de trabalho de tão grande relevancia. Segundo Sulze, nem o artista Nasser, sabe a dimensão do seu trabalho. Tão intenso, tão imenso no entanto simples como o próprio barro que modela.  Durante a oficina recebemos a visita dela que também é uma artista, a Vereadora Cibelle Viana que disse: "E a Escola Dr. João Beraldo recebe o grande ceramista Nasser Gazel com o Projeto Barro Bom. Parabéns aos envolvidos e, especialmente ao diretor Deodato Gomes Costa Gomes pela visão de resgate de técnicas."

Sobre a oficina Nasser se pronunciou assim: Mais uma experiência fantástica, ministrar uma Oficina de Arte Educação na E.E Dr João Beraldo em Carlos Chagas MG! Parabéns Deodato, Terezinha, Marielle, Deborah,aos alunos participantes, Wilton Rodrigues, as cantineiras pela mágica culinária aos funcionários pelo carinho,a produção do nosso documentário(Suzelita Meirelles e Bolão). Gratidão!!!
Agradecemos a Professora Deborah e Marielle pela coordenação dos trabalhos junto aos alunos.  Estou feliz demais com este trabalho, que frutificará no coração dos estudantes. 
                  Por Deodato Gomes

Clique aqui para acessar o álbum completo com as obras dos estudantes.





Nenhum comentário: